DICAS ESSENCIAIS PARA MANTER A SAÚDE PSICOLÓGICA

EO 2021 Saúde
  • slider

Desde março de 2020 que as principais preocupações dos especialistas perante as medidas de confinamento estão voltadas para a saúde psicológica dos cidadãos. A Ordem dos Psicólogos afirma que existem sentimentos naturais, mas que a diferença está na forma como aceitamos e lidamos com os mesmos.

A nossa saúde psicológica foi colocada à prova desde o primeiro confinamento em março e abril de 2020. A capacidade de resiliência do ser humano está a ser testada há quase um ano.

O aumento do número de fatores de stresse e ansiedade, como por exemplo: o desemprego, as crianças em casa, o teletrabalho, grandes alterações na rotina diária e até o facto de muitos estarem a experienciar a doença, são os principais elementos de teste à saúde mental de cada um de nós.

Segundo a Ordem dos Psicólogos existem sentimentos naturais e formas diferentes de ligar com os mesmos. As ferramentas emocionais, relacionais, de gestão pessoal e de autocuidado e bem-estar são importantes para confrontar o stresse e a ansiedade.

Encontre algumas dicas fundamentais para combater esta “pandemia psicológica”:

Sentimentos Naturais:
- É natural que a dor e a inquietação que sentimos seja proporcional à realidade exigente que vivemos;
- É natural sentir angústia, tristeza, medo, incerteza, desgaste e muito cansaço;
- É natural sentir-se insatisfeito com a sua vida, sem controlo na situação e, de uma forma geral, “em baixo”;
- É natural chorar, desesperar, ficar mais irritado e menos paciente com os outros;
- É natural sentir o novo confinamento como um “castigo” que não se merece. É natural sentir zanga e impotência;
- É natural sentir que a sua vida se limita ao trabalho;
- É natural ter dúvidas sobre como vai “sobreviver” a um novo confinamento;
- É natural sentir-se frustrado porque os seus projetos e planos ficaram mais uma vez suspensos.

Estes sentimentos são naturais e você não é o único nesta situação. Use a experiência do que correu bem no primeiro confinamento para repetir e o que correr mal para corrigir, construa a sua “Caixa de Ferramentas” para manter a sua saúde psicológica.

A Ordem dos Psicólogos tem algumas dicas para completar a sua “Caixa de Ferramentas”.



Ferramentas Emocionais
- Esteja atento às suas emoções, sentimentos e pensamentos. Lembre-se que é natural que o seu humor e a sua motivação possam flutuar – uns dias serão melhores do que outros;
- Aceite as suas emoções e sentimentos, bem como a incerteza e a imprevisibilidade da situação;
- Acredite na sua capacidade para lidar com esta situação;
- Viva um dia de cada vez, concentre-se no aqui e agora e no que neste contexto, ainda assim, pode controlar;
- Aprenda estratégias de gestão da ansiedade e do stresse. A sensação de “já não aguentamos mais” é um estado da nossa mente”;
- Use o humor. É uma estratégia saudável para lidar com situações difíceis.




Ferramentas Relacionais
- Reforce as suas relações. O confinamento significa apenas isolamento físico, não significa isolamento ou distanciamento emocional;
- Expresse os seus afetos. Mesmo à distância é possível expressar os nossos afetos e dizer aos outros que os amamos, nos preocupamos com eles e lhes estamos gratos.
- Partilhe o que sente. Falar sobre como nos sentimos e como estamos a experienciar a situação, com familiares ou amigos, pode ajudar-nos a perceber que não estamos sozinhos, que os outros nos compreendem e a sentirmo-nos melhor;
- Reforce os seus comportamentos pró-sociais. Estando em confinamento contribuímos ativamente para conter a propagação do vírus;
- Reduza a possibilidade de conflitos. Identifique um “espaço pessoal” para onde possa retirar-se quando se sente frustrado ou irritado;
- Se está numa relação de casal, procure comunicar e comportar-se de forma a desculpar comentários críticos ocasionais, perdoar comportamentos que o magoaram, compreender a perspetiva do outro e evitar culpabilizações, hostilidade e desprezo;
- Procure sentir-se útil e dar um propósito ao que estamos a passar. Procure formas de ajudar.




Ferramentas de Gestão Pessoal
- Estabeleça expectativas realistas;
- Estabeleça períodos sem telefone, televisão ou outros ecrãs;
- Faça uma Lista de Desejos das coisas que gostava de ver, ouvir e fazer durante o tempo de confinamento;
- Procure manter uma rotina e diversifique as suas atividades;
- Estabeleça objetivos realistas;
- Dê o desconto a si próprio. Não seja demasiado duro consigo próprio e aceite que, como seres humanos, cometemos erros;
- Mantenha o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. O trabalho é uma parte muito importante da nossa vida, mas não nos deve impedir de ter “qualidade de vida” ou sentimentos de “realização pessoal”;




Ferramentas de Autocuidado e Bem-estar
- Escolha alimentos saudáveis. Sempre que possível, faça uma alimentação saudável e consuma álcool apenas de forma esporádica e em pequenas quantidades de baixo risco;
- Faça exercício físico. A atividade física melhora o nosso humor e a nossa saúde;
- Escolha atividades diversificadas e que lhe deem prazer. Crie uma lista com essas atividades;
- Mantenha bons hábitos de sono. O sono é uma grande influência no nosso equilíbrio emocional;
- Doseie a consulta de informação sobre a pandemia. Demasiada informação não é sinónimo de informação útil. Consulte apenas fontes de informação credíveis e atualizadas;
- Cultive práticas de relaxamento e tranquilidade. Verificar constantemente as notícias e as redes sociais podem aumentar a ansiedade, é preferível focar-se em práticas que produzam emoções positivas;
- Encontre e agradeça coisas positivas;
- Desenvolva a sua resiliência. A resiliência é a capacidade que nos permite lidar com os nossos problemas e superá-los.

Depois de construir a sua “Caixa de Ferramentas” leve-a consigo para os momentos mais necessários. Veja aqui o guia completo.