QUARTETO DA FELICIDADE: TOME A SUA D.O.S.E.

EO 2021 Opinião | Sónia Gaudêncio, Psicóloga Clínica
slider

Sabia que possuímos uma verdadeira química da felicidade e que podemos estimular a produção dessa química sempre que sentirmos necessidade?

Não precisamos de esperar que algo de bom aconteça para nos sentirmos felizes, é possível criar as condições que libertam a química da felicidade quando bem entendermos.

Temos à nossa disposição hormonas e neurotransmissores que quando são libertados no nosso corpo nos dão a sensação de bem-estar e felicidade instantaneamente. Sempre que sentimos sensações de felicidade e bem-estar estamos a sentir, na verdade, a ação desses químicos no nosso organismo.

O cérebro não produz hormonas que causam infelicidade, as pessoas sentem-se infelizes por causa da falta das “hormonas da felicidade”.  Portanto, quando estiver triste e quiser mudar o seu estado emocional pode “produzir” estes químicos que causam felicidade, seguindo algumas dicas que lhe deixo, mais à frente.

Mas primeiro, vamos conhecer quem são os responsáveis pela regulação do humor e que quando são libertados no organismo causam uma sensação de bem-estar. São conhecidas como o Quarteto da Felicidade e são: a Serotonina, a Oxitocina, a Endorfina e a Dopamina.

Quais são os químicos da felicidade?

Dopamina - proporciona motivação, aprendizagem e prazer; dá-lhe determinação para cumprir objetivos, desejos e necessidades;

Oxitocina - sensação de confiança, que o motiva a construir e a sustentar as relações humanas; Conhecida como a "hormona do afeto e do amor", desempenha um papel nas ligações;

Serotonina - sentir-se importante em relação ao outro; aceitar-se a si próprio num contexto de grupo;

Endorfinas - libertação de uma ligeira euforia para disfarçar uma dor física; resposta à dor e ao stress que alivia a ansiedade e depressão.

Há algumas coisas que fazemos e que podem estimular a produção destas hormonas e neurotransmissores. Por exemplo:

– Serotonina: Uma das formas de ajudar a produzir Serotonina é através da recordação de momentos agradáveis da sua vida, passear na natureza e dormir bem.

– Oxitocina: A oxitocina, também conhecida como “A Hormona do Amor”, facilita as interações sociais, ajuda a reduzir a pressão arterial e o nível de cortisol (responsável pelo stress). Abraços, beijos, carinhos, ajudam a elevar os níveis de oxitocina no organismo rapidamente; bem como a prática de atos de generosidade, solidariedade, a ajuda ao próximo.

- Endorfina: A Endorfina possui uma ação analgésica e ao ser libertada estimula a sensação de bem-estar, conforto e melhora o estado de humor e alegria. A prática de exercícios físicos estimula a produção de endorfina. A meditação é outro fator que contribui para a libertação de endorfina, mesmo que não consiga meditar, só a tentativa de meditar já liberta neurotransmissores que trazem uma sensação agradável.

– Dopamina: Conhecida como a “Hormona do Prazer” a dopamina é fundamental para evitar depressão e doenças como Parkinson. Sempre que realizamos atividades que gostamos, praticamos um hobby, ouvimos as nossas músicas preferidas e praticamos exercícios físicos libertamos dopamina.

Então, a nossa saúde e felicidade também podem depender dos nossos esforços.

Qual o desafio que vos deixo: arranje quatro frascos ou quatro caixinhas que, podem decorar em família, da forma como preferirem. Cada frasco/caixa irá representar um neurotransmissor (dopamina, oxitocina, serotonina e endorfina). A ideia é que, diariamente, tomem a sua D.O.S.E do quarteto da felicidade, escolhendo uma atividade por dia, pelo menos, que promova um desses químicos.

Podem começar por identificar as atividades que promovem cada um deles e guardar nos respetivos frascos/caixas. Este é um exercício bom para criar hábitos diários e conscientes, que poderá manter, para nutrir, fortalecer cada um das hormonas e neurotransmissores referidos.

Ficam algumas propostas:



Não se esqueça deste “quarteto da felicidade” … nem de tomar a sua D.(dopamina) O.(oxitocina) S.(serotonina) E. (endorfina) diária!!!


Sónia Gaudêncio, Psicóloga Clínica e Diretora da ESTIMA +

Mais informações: Email | Facebook


Pub
Pub