O CASTELO DAS TORRES VERDES

EO 2020 Porto de MósPasseio3ª a Dom.: 10h-12.30h, 14h-18.30h (mai. a Set), 10h-12.30h, 14h-17.30h (out. a Abr.)M/00,79€ / 1,58€
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider

Após subir a colina do castelo pelas ruas da vila encontra o Castelo de Porto Mós, que ganha destaque pelos seus dois coruchéus em tons de verde.

À época da Reconquista cristã, tendo as forças de D. Afonso Henriques avançado até à linha do rio Tejo, Porto de Mós tornou-se um ponto estratégico na defesa de Leiria. A tradição refere como seu Alcaide o ilustre D. Fuas Roupinho.

Com o incentivo ao povoamento sob o reinado de D. Sancho I, a povoação prosperou, tendo a sua defesa recebido importantes obras de beneficiação.

No contexto da crise de 1383-1385, a povoação e o seu castelo tomaram o partido do Mestre de Avis. Aqui pernoitaram as forças portuguesas a caminho da batalha de Aljubarrota (1385).

A povoação, o castelo e seus domínios integraram a ampla doação de terras e direitos, feita por D. João I ao Condestável, D. Nuno Álvares Pereira. O seu neto primogénito, D. Afonso, 4° conde de Ourém e 1° marquês de Valença, herda estas terras. Foi ele o responsável por várias melhorias em Porto de Mós, entre as quais a transformação do seu castelo medieval num paço residencial, projeto que os seus descendentes conservaram e ampliaram.

A estrutura do castelo foi severamente danificada pelo terramoto de 1755 e, novamente, em menor grau, pelo de 1909, comprometendo em particular o alçado norte.

Em 1910, foi classificado como Monumento Nacional. Em 1936, por iniciativa da Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, foi iniciada uma ampla intervenção de reconstrução e restauro.

Dentro do monumento, no primeiro piso estão as salas que recebem exposições temporárias – onde em sua função de residência real, no século XV, se encontravam os armazéns, as dispensas, as adegas e as cozinhas. No primeiro piso, encontra o espaço por onde já foram as salas residenciais. É a partir desse piso que pode subir ao último piso com as torres.

Preços:
0,79€, até aos 25 anos; 1,58€, bilhete normal.

Obs.: Entrada gratuita até aos 6 anos. O monumento aceita marcações para visitas de grupo e para atividades e, consoante a agenda, a visita é enriquecida com exposições temporárias.