DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS NO MAAT

EO 2020 Exposição Online
  • slider

Museus para a igualdade: diversidade e inclusão é o tema que será abordado no Dia Internacional dos Museus, no MAAT.

Nyege Nyege: Uma Nova Esperança é o primeiro capítulo do novo programa de música e som do MAAT, intitulado Terra Irada, que será apresentado por ocasião do Dia Internacional dos Museus, 18 de maio.

Hoje, mais do que nunca, o papel potenciador que as instituições de cultura podem desempenhar nas sociedades surge como intrínseco ao nosso desejo natural de fazer parte de uma comunidade e de nos sentirmos parte dela. Apesar de muitos destes locais permanecerem fechados por todo o mundo, e de a sua sobrevivência estar ameaçada pelas repercussões económicas da crise que vivemos, devemos aproveitar esta oportunidade para renovar as promessas que fizemos aos círculos que servimos enquanto plataformas catalisadoras que promovem ações e reflexões em torno do significado e construção da ação cultural.

As comemorações do Dia Internacional dos Museus, cujo tema este ano é “diversidade e inclusão”, relembram-nos que só através de um processo em aberto de debate produtivo e de solidariedade criativa é que os museus, enquanto precursores de cultura, podem continuar a apoiar a transformação das visões do mundo resultantes do respeito mútuo e cuidado pelo nosso destino comum, e que os desafios que um enfrenta são sempre desafios enfrentados por muitos.

Embora as portas do MAAT permaneçam, por enquanto, encerradas, existe um esforço por continuarem presentes para os públicos e, neste dia, irradiar a energia que vem de “estarmos juntos”, independentemente de barreiras geográficas ou temporais, através do poder libertador e universal da música.

Nyege Nyege: Uma Nova Esperança, título do projeto preparado para o Dia Internacional dos Museus 2020, é o primeiro capítulo do novo programa de música e som do MAAT, intitulado Terra Irada, com curadoria de Pedro Gomes, que irá decorrer ao longo dos próximos meses.

Uma iniciativa criada por dois europeus — Arlen Dilsizian e Derek Debru — em Kampala, no Uganda, a Nyege Nyege HQ tem proporcionado meios de produção, um festival, uma estrutura de representação e, sobretudo, vários canais viáveis a partir dos quais culturas insulares e com pouca exposição podem apresentar-se. Esta iniciativa inclui idiomas subsarianos, mas também de outras partes do mundo, num processo em constante expansão. A Nyege Nyege tem sido um bastião de ideias e de iniciativas construtivas e positivas para a era pós-colonial. Tem ajudado a estimular o orgulho próprio dos artistas e, assim, a compreenderem que podem trabalhar fora das suas áreas artísticas de forma a provocarem um impacto concreto no mundo exterior. Ao fazê-lo ao longo dos últimos cinco anos e em vários continentes, o projeto tem contribuído para a expressão de pensamento livre num contexto de respeito mútuo e civilidade.

A Nyege Nyege faz parte de um coletivo artístico sedeado em Kampala que inclui uma residência artística e estúdios comunitários, e duas editoras discográficas /Nyege Nyege Tapes e Hakuna Kulala). Para descrever o festival de quatro dias que organiza, a Nyege Nyege convoca as seguintes palavras: “alegria abundante, música e músicos alternativos em África, de África ou com um profundo interesse em conhecer melhor o continente; representa diversão e curiosidade e desafiar fronteiras, sempre com um sentido de inclusividade e um convite à surpresa.”

Nesta colaboração inédita com o MAAT, o programa transmite seis emissões diferentes a partir de cinco localizações no mundo — África do Sul, Mali, Tanzânia, Santa Lúcia, nas Caraíbas, Ilha da Reunião e Uganda — onde comunidades e ideias visionárias se unem sob uma única bandeira de progresso, confronto, celebração e compreensão.
PROGRAMAÇÃO
Conversa moderada por Shannen SP com o curador Pedro Gomes e os cofundadores da Nyege Nyege, Arlen Dilsizian e Derek Debru.
18 mai.: 16h-17h

Performances:
1. Menzi feat. Tshipo com Amabhotela (dancers). Durban, África do Sul. Estilo Local Future Gqom.
2. DJ Diaki. Sanankoroba, Mali. Estilo Balani Fou Show.
3. Jay Mitta & MC Anti Vairus. Dar Es Salaam, Tanzânia. Estilo Singeli.
4. DJ Chengz. Santa Lúcia (Caraíbas). Estilo Lucian Kuduro/ Dennery Segment.
5. Jako Maron. Réunion Island. Estilo Electro Maloya.
6. HHY & The Kampala Unit. Uganda/Portugal/Congo. Avant Percussion Ensemble.
18 mai.:17h-21h

Assista tudo na página específica do canal de YouTube do MAAT.