QUANDO RECORRER A UM PSICÓLOGO INFANTIL?

EO 2018 Desenvolvimento | Fonte: Fale Connosco
  • slider

São inúmeros os mitos existentes acerca do acompanhamento psicológico com crianças e jovens, especialmente nas faixas etárias mais tenras.

Os pais, preocupados com o bem-estar e ajustamento psicossocial dos seus filhos, temem frequentemente solicitar o apoio dum profissional da área da Psicologia.

Reconhecer que se precisa de ajuda significa que os pais não são competentes no papel e função que assumiram? Trata-se de substituir estes agentes educativos? É dar demasiada importância a preocupações que podem assumir um carácter temporário? Claro que não! Reconhecer a difícil missão de ser pai e enfrentar este desafio recorrendo ao apoio dum psicólogo é um ato que manifesta um profundo sentido de responsabilidade face ao bem-estar das crianças e jovens. Tal decisão não revela incapacidade ou fraqueza dos pais, mas antes um forte sentido de pertença e entrega pelos seus filhos, devendo por isso ser aplaudida.

De seguida damos resposta a algumas questões que nos surgem com mais frequência: quando recorrer e porque motivos, em que consiste e como é realizado o acompanhamento de Psicologia Infantil.

Quando devo recorrer ao Psicólogo Infantil?

O psicólogo infantil é um profissional especializado que pode ser um importante aliado na promoção do desenvolvimento harmonioso das crianças. A criança evidencia algum comportamento que seja prejudicial à sua qualidade de vida? Interfere de forma significativa no seu quotidiano? O seu comportamento prejudica o seu relacionamento em casa, com os amigos, interfere no seu desempenho escolar? Se responder positivamente a estas questões, convido-o a pensar nas demais:

• Há quanto tempo persiste o comportamento?
• Que tentativas foram feitas para superar esta situação?
• A criança respondeu favoravelmente? O comportamento voltou? Em que circunstâncias?
• Estou a conseguir lidar com esta situação neste momento?

Se o comportamento for persistente, se as tentativas para superar a situação não surtiram efeito ou já não estão a surtir e sobretudo se já não consegue lidar com esta situação, pondere a consulta com um profissional especializado.

Quais os principais motivos que levam à procura de acompanhamento de Psicologia Infantil?

• Dificuldades:
- comportamentais;
- emocionais tais como ansiedade, isolamento social e depressão;
- relacionais com pais, professores, colegas, ou outros;
- atenção e concentração;
- aprendizagem.

• Perturbações:
- de eliminação: enurese (dificuldade de controlo da urina, sobretudo durante o sono) e ecoprese (dificuldades de controlo das fezes);
- sono.

• Situações familiares impactantes como adoção, divórcio, maus-tratos.
• Processo de luto.
• Alterações ou distúrbios alimentares tais como recusa alimentar, anorexia e bulimia

Em que consiste o acompanhamento de Psicologia Infantil?

O apoio psicológico é feito numa perspetiva de intervenção breve e com fases distintas.

O psicólogo infantil tem uma formação que lhe permite estabelecer com a criança uma relação que lhe forneça segurança para encarar o espaço proporcionado enquanto momento de partilha e validação emocional. A forma de falar, o tom, a postura que usa criam um ambiente de acolhimento e confiança.

Antes do início da psicoterapia, o psicólogo realiza entrevistas iniciais com os pais para reunir informações sobre a história da criança e da família. Só após esse contacto inicial, é que o psicólogo tem condições para avaliar o número de sessões que necessitará, assim como a periodicidade das mesmas.

Habitualmente as sessões têm um carácter semanal numa fase inicial, passando depois para quinzenais até a fase do follow up (por ex: monitorização de 6 em 6 meses que pode ser realizada presencialmente ou pelo telefone). A duração média das sessões é de 50 minutos.

Como é realizado o acompanhamento de Psicologia Infantil? Durante a psicoterapia, o psicólogo utiliza essencialmente recursos lúdicos para compreender os sentimentos, pensamentos e angústias das crianças através das brincadeiras. Por sentir-se aceite e compreendida no contexto que lhe é proporcionado, a par das estratégias utilizadas por estes profissionais, verificam-se melhorias significativas no comportamento das crianças em casa e na escola.


Conteúdo desenvolvido por:
Sandra Alves - Saúde Personalizada