COMUNICAÇÃO ENTRE PAIS E PROFESSORES: DIFICULDADES E POTENCIALIDADES

EO 2017 Educação | Fonte: Pin - Centro de Desenvolvimento
  • slider

Pais e professores devem reconhecer que conhecem a criança em contextos diferentes e que cada um pode desconhecer por completo a criança no papel oposto.

A família e a escola são dois elementos centrais no desenvolvimento do ser humano. Pais e professores desempenham um papel chave em todo este processo. Por vezes assistimos a ambivalência de atitudes e comportamentos que originam desacordos, baseados em falhas na comunicação, crenças/valores associados ao papel que cada um desempenha, entre outros.

Tanto os pais como os professores devem reconhecer que conhecem a criança em contextos diferentes e que cada um pode desconhecer por completo a criança no papel oposto.

As condições sociais que atualmente se verificam (desemprego, ausência de redes de suporte, stress associado ao trabalho/falta de tempo) influenciam de forma determinante esta relação: os pais podem parecer pouco interessados na vida escolar dos filhos e, simultaneamente, estes podem sentir que os professores apresentam pouca flexibilidade de horários para os receber.

Encontrar o equilíbrio nem sempre se constitui uma tarefa fácil. Desconstruir algumas ideias subjacentes a cada uma destas figuras pode ser o primeiro passo.

O professor deve considerar:
- Conhecer as famílias com as quais se articula, identificar expectativas, características e particularidades, o que permite, paralelamente, conhecer o aluno e o seu contexto;
- Estar ao corrente das dificuldades das famílias em articular as exigências do contexto escolar dos filhos.

Os pais, por sua vez, deverão ter em conta que:
- A quantidade de alunos por sala e as constantes exigências em termos de horário causam dificuldades na disponibilidade dos professores;
- Não têm um conhecimento do trabalho global (para além do lecionar) do professor;
- Existem inúmeras burocracias inerentes aos diversos processos dos alunos;
- Cabe ao professor defender o valor educativo do contexto escolar que representa.

Na articulação entre pais e professores podem ser aplicadas algumas estratégias para facilitar a comunicação ao longo do ano letivo:
- No início, usufruir das reuniões de turma para a partilha de expectativas, motivações, metas;
- Definir as alturas mais indicadas para serem contactados e de que forma (telefone, carta, email, etc.);
- Ter sempre em mente que uma quezília prejudica essencialmente o aluno e é necessário trabalhar em conjunto para a resolver;
- Antecipar possíveis problemas comportamentais do aluno pode evitar determinadas situações no contexto escolar.

Paralelamente a estas estratégias, a relação entre ambos deve ter por base o respeito e compreensão mútua. No processo de comunicação é fundamental escutar o outro, ter atenção ao seu discurso e ser flexível na forma como processamos a informação, uma vez que as ideias/pensamentos podem ser diferentes sobre o mesmo assunto. O desinteresse e o recurso a ideias pré-concebidas sobre os intervenientes podem representar diversos prejuízos para o sucesso escolar e pessoal do aluno.

Alguns dos elementos chave neste processo são:
- Tolerância;
- Clarificação de situações de conflito;
- Controlo da ansiedade (quando se verifica uma situação que exige o esclarecimento do professor, respeitar os tempos de atendimento);
- Conhecimento dos factos que originam os desentendimentos;
- Uso da assertividade.

O comportamento dos pais/professores funcionam muitas vezes como espelho para as situações sociais que filhos/alunos enfrentam no seu dia a dia. Assegurar o bem-estar e o sucesso no desenvolvimento da criança/jovem não se resume apenas ao contexto educativo, mas também emocional/relacional, nesse sentido todos os intervenientes devem caminhar juntos rumo a este objetivo.



Texto desenvolviso pelo Núcleo PIN-ED:
Ana Beirão (Terapeuta da Fala)
Ana Catarina Velez (Psicóloga)
Nelson Afonso (Educação Especial e Reabilitação Psicomotora)

PIN - Centro de Desenvolvimento