HERÓIS DE TODA A ESPÉCIE

EO 2020 Ambiente | Apoio: Ren
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider

Há algumas espécies que estão a ser ameaçadas e é preciso protegê-las. Conhece-os e fica a saber todas as características e curiosidades!

LOBO IBÉRICO
O Lobo Ibérico é uma das subespécies de lobos existentes em todo o mundo. Tem este nome porque vive nas zonas mais altas de Portugal e Espanha. Os lobos fazem parte da família dos cães, mas são maiores e mais pesados. No estado selvagem, os lobos vivem em alcateias de 3 a 10 indivíduos, constituídos por um casal dominante e pela sua descendência. Em Portugal, são conhecidas entre 45 a 65 alcateias.

Descobre mais aqui sobre a alimentação, o habitat, a vida em alcateia e as ameaças a esta espécie.

AZINHEIRA
A azinheira é uma árvore muito conhecida em Portugal, que se pode encontrar sobretudo no Sul do país, pelo que também é chamada árvore do Sul. É uma árvore muito apreciada para abrigo pela fauna, como por exemplo aves, répteis e mamíferos, e por isso desempenha uma função muito importante na manutenção da biodiversidade. Além disso, produz um fruto - a bolota - que serve de alimento a vários animais, selvagens e domésticos.

Descobre mais aqui sobre as suas características, os usos e costumes, o habitat e as ameaças à azinheira.

ÁGUIA DE BONELLI
É uma ave de médio a grande porte, com população estimada entre 128 e 150 casais em Portugal. É uma ave de rapina que, no estado adulto, apresenta asas castanho-escuras ou pretas e o peito branco sarapintado de castanho. Também é conhecida por águia-perdigueira porque uma das suas principais presas é a perdiz.

Descobre mais aqui sobre a sua alimentação, o habitat, a vida em casal e as ameaças a esta espécie.

MEDRONHEIRO
É uma espécie vegetal de folha persistente que dura todo o ano. É considerado um arbusto ou uma pequena árvore e pode chegar a medir 12 metros de altura, apesar da maioria das vezes não ultrapassar os 5 metros. O seu tronco e ramos têm um tom avermelhado e escamoso. Os seus frutos são vermelhos e muito apetecíveis, tanto pelas pessoas como pela fauna envolvente. Quando estão muito maduros, os frutos contêm vestígios de álcool.

Descobre mais aqui sobre o seu habitat, o ecossistema e as ameaças ao medronheiro.

LINCE-IBÉRICO
O lince-ibérico é um carnívoro muito raro, é o felino mais ameaçado do mundo. Os linces fazem parte das famílias dos gatos, com pelagem amarela e manchas negras, o que lhes permitem camuflar-se na vegetação. Têm uns pêlos negros que parecem um pincel na ponta das orelhas e ainda uns pêlos pretos e brancos no focinho que se parecem com umas barbas.

Descobre mais aqui sobre o seu habitat, o ecossistema e as ameaças ao lince-ibérico.

SOBREIRO
O sobreiro pertence à família dos carvalhos, é muito sociável e próximo da azinheira. É uma espécie florestal única e muito importante em Portugal. Em 2012, o Estado Português consagrou o sobreiro como a árvore nacional de Portugal. Produz uma madeira de grande qualidade, mas o que realmente o distingue é a produção de cortiça de 9 em 9 anos.

Descobre mais aqui sobre o seu habitat, o ecossistema e as ameaças do sobreiro.

SISÃO
É uma ve de porte médio, parecida com uma abetarda pequena. Vive em bandos, próximo de zonas abertas de cultivo de cereais e de pastoreio de gado, em particular no Alentejo. É uma espécie ameaçada com o estatuto de conservação "vulnerável".

Descobre mais aqui sobre o seu habitat, o ecossistema e as ameaças do Sisão.

RATO-DE-CABRERA
É o único roedor nativo da Península Ibérica, em Portugal pode ser observado em várias zonas isoladas. Não suporta alterações de temperaturas significativas e falta de humidade. É uma espécie vulnerável e, por isso, requer uma proteção elevada e rigorosa.

Descobre mais aqui sobre o seu habitat, o ecossistema e as ameaças do Rato-de-Cabrera.

ABUTRE-DO-EGITO
O abutre-do-Egito ou britango é o mais pequeno dos abutres ibéricos e uma das aves mais emblemáticas do nordeste transmontano. Pode ser visto em Portugal e Espanha durante a época de nidificação, migrando no outono para sul, passando o inverno em África. Nos últimos 30 anos viu a sua população diminuir cerca de 30%, encontrando-se hoje em perigo de extinção.

Descobre mais aqui sobre o seu habitat, o ecossistema e as ameaças do Abutre-do-Egito.

CASTANHEIRO
É uma das árvores mais importantes e conhecidas em Portugal. Os seus frutos, as castanhas, foram desde sempre fundamentais na alimentação dos povosmediterrânicos. É também uma árvore importante enquanto abrigo e alimentação da fauna, tendo por isso um papel fundamental na manutenção da biodiversidade.

Descobre mais aqui sobre o seu habitat, o ecossistema e as ameaças do Castanheiro.

ÁGUIA-IMPERIAL
A águia-imperial é uma das aves exclusivas da Península Ibérica e uma das mais ameaçadas da Europa, estando entre as mais rara do mundo. É a maior das águias da Península Ibérica e uma das maiores do mundo, impressionando pela sua imponência. Pode atingir 210 cm de envergadura e até 5 kg de peso. São facilmente confundíveis com outras águias, principalmente porque até atingirem a idade adulta a sua coloração tem fases bastante distintas. Os adultos são escuros com o bordo dos ombros branco. A cauda é cinzenta e preta.

Descobre mais aqui sobre o seu habitat, o ecossistema e as ameaças da Águia-Imperial.

ABUTRE-PRETO
O abutre-preto, um dos abutres ibéricos, é uma das aves mais emblemáticas que se podem encontrar no interior do Alentejo e na zona do Tejo Internacional. É também o maior abutre da Península Ibérica. Tem um importantíssimo papel para a sanidade e manutenção dos ecossistemas mediterrânicos, pois funciona como agente de limpeza natural, uma vez que ao alimentar-se de cadáveres diminui o risco de propagação de doenças. Nos últimos 50 anos, o abutre-preto viu a sua população reduzida até cerca de 200 casais na Península Ibérica, todavia, na última década, a população recuperou bastante, para um efetivo atual de cerca de 2000 casais.

Descobre mais aqui sobre o seu habitat, o ecossistema e as ameaças do Abutre-Preto.

O PINHEIRO-MANSO
O pinheiro-manso é conhecido por duas características que pouco têm a ver com a utilização mais usual das árvores florestais: as sementes comestíveis e a forma da sua copa.  O elevado valor da sua semente, o pinhão, está na origem da recente evolução positiva que a área desta espécie tem tido em Portugal. O valor ecológico da espécie tem a ver com a procura das copas dos pinheiros altos para nidificação de espécies de aves de rapina ou a pernoita do pombo-torcaz, por exemplo.

Descobre mais aqui sobre o seu habitat, o ecossistema e as ameaças do pinheiro-manso.

CEGONHA-PRETA
A cegonha-preta tem as asas, o pescoço, a cabeça e o dorso pretos com deslumbrantes reflexos verdes e a barriga branca. Tal como a cegonha branca, o seu bico é vermelho, contrastando bastante com a plumagem. Em Portugal a população é estimada entre 90 e 140 casais, razão pela qual é uma espécie ameaçada.

Descobre mais aqui sobre o seu habitat, o ecossistema e as ameaças da cegonha-preta.

AZEVINHO
Esta é uma espécie vegetal que pertence aos arbustos ou pequenas árvores, que às vezes chega a atingir 10 metros de altura. Os seus ramos são muito utilizados no Natal, como decoração em centros de mesa, janelas e portas porque antigamente se acreditava que o azevinho servia de espanta espíritos e por essa razão era considerada uma planta sagrada.

Descobre mais aqui sobre o seu habitat, o ecossistema e as ameaças do azevinho.

ABETARDA
A abertada é uma ave muito grande e pesada, a maior ave voadora da Europa. Os machos, com cerca de 16 kg, fazem uma dança especial na época de reprodução para impressionar as fêmeas, mostrando a sua bonita plumagem castanho-avermelhado. Em Portugal existem apenas cerca de 1500 abertadas, pelo que a espécie se encontra em perigo de extinção.

Descobre mais aqui sobre o seu habitat, o ecossistema e as ameaças da abertada.

Com o apoio: REN