UM PASSEIO PELA LISBOA "BAIRRISTA"

EO 2019 Região de LisboaPasseioM/0
  • slider

Propomos-lhe uma "viagem" de um dia pela "verdadeira" Lisboa

O Museu do Fado, no Largo do Chafariz de Dentro, não tem que ser exclusivo de turistas e estrangeiros, os habitantes de Lisboa e arredores podem reencontrar aqui a sua cidade e a sua música. Não aconselhamos este espaço a crianças com menos de 8 anos, mas a partir desta idade, pais e filhos podem partilhar neste local momentos recheados de música e  História de Lisboa. Os audioguias, os espaços para selecionar e ouvir fados e a sucessão de ambientes recriados através de meios audiovisuais, contribuem para que esta seja uma experiência diferente e marcante para os mais novos.

Já que está mesmo à entrada de Alfama, nada como explorar este bairro típico de Lisboa. Siga pela Rua S. João da Praça e aí encontra o Pois, Café! um daqueles lugares cosmopolitas em que nos sentimos em casa e orgulhosos da nossa cidade. Sob as abóbadas deste edifício pombalino, há espaço para livros, brinquedos e jogos, acompanhados por excelentes tostas e saladas e uma atmosfera ímpar. Se preferir um ambiente mais tradicional o restaurante Viagem de Sabores, mesmo ao lado, poderá ser uma opção. Continue o seu caminho e porque não uma visita à Sé, um dos ícones da cidade? É altura de descer à baixa para tornar a subir, desta vez de elevador, o de Santa Justa, mais um símbolo da cidade e mais uma aventura para as crianças. Ao passar na Rua da Madalena espreite a loja Nós por cá, com originais produtos de origem nacional e, mais abaixo, já na Rua dos Bacalhoeiros, a tradicional Conserveira de Lisboa, vestígio de uma Lisboa de outros tempos que tanto nos fascina.

Chegados ao topo de mais uma colina, é tempo de visitar o Museu Arqueológico e as Ruínas do Convento do Carmo, no Largo com o mesmo nome. As ruínas da nave da Igreja do Convento do Carmo constituem um testemunho do terramoto de 1755,e um pretexto para falar deste acontecimento. O Museu alberga testemunhos dos mais antigos habitantes do território português (como sepulcros megalíticos e artefactos calcolíticos), passando por vestígios romanos e islâmicos, peças representativas da arte moçárabe de Lisboa (como os dois pilares decorados com medalhões vegetalistas e grifos e o Friso dos Leões do Séc. IX-X), até à história do fundador do Convento, D. Nuno Álvares Pereira. Uma interessante lição de Séculos de História numa só tarde!

Se não for fã de caminhadas, pode optar por fazer este percurso (ou outro) nos novos veículos ecológicos que invadiram Lisboa, os riquechós dos tempos modernos, são várias as empresas a operar na cidade.

Para os mais resistentes sugerimos uma aula prática daquilo que aprenderam durante a manhã, acabando o dia numa casa de fados, peça indicações no Museu do Fado, e reconheça que Lisboa é uma cidade que vale a pena explorar!