FÉRIAS DE VERÃO COM AÇÃO

EO 2017 Educação | Fonte: Ideph
  • slider

Com as férias a chegar, não se pode parar. Os neurónios querem-se ativos mesmo sem a obrigatoriedade que a escola exige durante os meses de férias de verão.

Para alguns pais, o verão é sinónimo de inquietação com os quase três meses de férias a que os filhos têm direito. As perspetivas são de dias consecutivos passados em frente à televisão e ao computador, na praia com mergulhos no mar e banhos de sol ou numa esplanada com conversas animadas.

Há, no entanto, jovens que trocam estas atividades por missões de voluntariado e serviços de apoio à comunidade, por atividades direcionados para o mundo empresarial ou científico, entre outras. Por todo o país, existem instituições, associações ou até mesmo pessoas com ideias criativas, que recebem jovens dispostos a contribuir com as suas competências e, em troca, proporcionam experiências que compensam em termos pessoais e até mesmo emocionais.

Para os que gostam de desafios durante as férias, os programas são diversificados e as possibilidades são várias e variadas. Seguem-se algumas sugestões:

Voluntariado: nesta altura, devido ao calor, existem diversos tipos de voluntariado, nomeadamente nas florestas e nas praias. Informe-se na Junta de Freguesia ou Câmara Municipal da sua área de residência o que têm para oferecer e escolha o programa que mais lhe agradar. Além de manter a mente ocupada, pratica diariamente uma boa ação para o planeta. Hoje em dia até já existem programas de voluntariado nos Festivais de verão (só para maiores de 18 anos);

Cursos de verão: por norma, alguns colégios aproveitam as férias de verão dos seus alunos para promoverem cursos de línguas para estrangeiros, além de organizarem visitas culturais e temáticas. A maioria funciona em regime de internato ou em residências familiares;

Programas promovidos pelo Instituto Português da Juventude (IPJ). Aqui encontra com facilidade programas para manter as férias ocupadas;

Campos de férias: cada vez mais os jovens procuram atividades propostas por estes campos, quer como monitores, quer como participantes. As opções são muitas desde idas à praia, a acampamentos ou até mesmo viagens;

Colónia das escolas e dos ATL (Atividades de Tempos Livre): verifique o plano de atividades destas entidades e veja se é adequado às suas necessidades. São, normalmente, dias preenchidos de diversas saídas para a praia, museus, jardins e jogos divertidos. Para participar, basta inscrever-se previamente e pagar o montante para usufruir desses dias;

Estude o que quiser! É também altura de aproveitar as férias para se dedicar ao estudo do que mais se gosta sem caracter de obrigatoriedade. Existem livros de exercícios e jogos de exploração e investigação em livrarias ou até mesmo em supermercados;

Inicie um projeto
novo ou promova a ideia de alguém. Em sítios da internet como o volunteermatch.org ou o idealist.org pode encontrar recursos e ideias ou até mesmo projetos internacionais que possam ser do interesse tanto dos mais jovens como dos mais velhos.

Um verão ativo, com experiências enriquecedoras é possível se as crianças e adolescentes tiverem o apoio adequado e a valorização dos seus interesses. Ao transmitir aos mais jovens que atividades criativas, de ajuda a terceiros e de gestão flexível do tempo de férias é benéfico, agradável e compensador, permite manter o hábito ao longo do verão até mesmo à idade adulta.


Conteúdo desenvolvido por Joana Gomes
Psicóloga – IDEPH – Instituto de Desenvolvimento e Estimulação do Potencial Humano