SOBREVIVER À QUARENTENA COM UMA ROTINA

EO 2020 Saúde| Covid-19
slider

Para uma boa convivência familiar, a organização torna-se indispensável para conseguir conciliar o teletrabalho, os trabalhos de casa das crianças e o tempo livre, mantendo sempre a boa disposição.

Num tempo em que a convivência familiar está a ser posta à prova, em que as famílias passam muito tempo dentro de casa e os pais trabalham na sala ou no quarto enquanto as crianças correm pelos corredores, podem surgir muitos desafios… E oportunidades.

Tivemos que parar o ritmo frenético em que estávamos habitualmente envolvidos e isso significa mais tempo para estabelecer laços com os que nos rodeiam, mais conversas prolongadas, mais tempo para ouvir, mais comunicação. Mas para uma boa convivência, a organização familiar torna-se indispensável.

Estabelecer uma rotina
Segundo o estudo feito por Jane Nelsen, Lynn Lott e Stephen Glenn no livro Disciplina Positiva de A a Z, estabelecer boas rotinas ajuda a desenvolver uma série de benefícios a longo prazo para toda a família como segurança, confiança e habilidades pessoais. Através de uma rotina, as crianças conseguem focar-se em fazer aquilo que é necessário fazer em cada momento, aproveitando melhor cada uma das tarefas. Aprendem também a ser responsáveis, sentem-se mais capazes e os pais não vão precisar de estar constantemente a dar ordens, porque os horários já foram previamente estabelecidos.
É natural que à medida que os dias vão passando, tanto as crianças como os adultos fiquem mais impacientes e cansados de passar tanto tempo em casa. Por isso, é indispensável criar uma rotina familiar e um horário para que todos, independentemente da idade, se mantenham sempre ocupados e ativos.

Partilhamos algumas recomendações e dicas práticas, inspiradas pela psicóloga Mayte Domínguez, para sobreviver a estes dias de quarentena em família:
- Explicar às crianças que não estão de férias, transmitindo-lhes a informação verdadeira e adaptada à sua idade e conhecimento.
- Fazer um horário com atividades e momentos estabelecidos, como na escola. Incluir um tempo para atividades académicas, desportivas e recreativas. Pode-se pedir às crianças para decorarem o horário a seu gosto e o colocarem num local onde seja fácil de visualizar.
- De manhã, depois de tomar o pequeno almoço, é uma boa altura para pôr as crianças a fazer atividades académicas, deixando-as depois ir um bocadinho brincar. Uma boa opção pode ser pô-las a fazer circuitos dentro de casa para gastarem alguma energia.
- É importante pedir às crianças, dependendo da idade das mesmas, que ajudem nas tarefas domésticas: arrumar o quarto, pôr a loiça na máquina, dobrar a roupa…. Podemos pedir às mais pequenas para ajudarem a cozinhar coisas básicas (amassar, bater, fazer bolachas, decorar). Com este tipo de tarefas, reduzimos o tempo que passam agarrados à Internet e telemóveis.
- Pode ser uma ideia incluir a partir das 17h ou 18h um tempo para jogos em família, sessões de cinema e jantares em conjunto (até se podem sugerir algumas dinâmicas como por exemplo jantares temáticos).
- É importante também dar um tempo às crianças mais crescidas para falarem com os amigos virtualmente, pois é a única forma de se manterem em contacto. Este tempo pode também estar incluído no horário.

Fonte: La Prensa

Pub
Pub