BÊ-Á-BÁ DA HIGIENE ORAL

EO 2019 Saúde a 4 Mãos | Opinião | Fonte: Farmácias Portuguesas
slider

Para que o seu filho cresça com dentes saudáveis e não tenha de passar a vida no dentista, é fundamental ensinar-lhe hábitos de higiene oral desde bebé. O nosso pediatra e a nossa farmacêutica de serviço explicam-lhe o essencial, lembrando que os pais têm de dar o exemplo.

POR HUGO RODRIGUES
Médico Pediatra

Em 2005, foi criado pela Direcção-Geral da Saúde o Programa Nacional de Promoção da Saúde Oral, que visa otimizar os cuidados de saúde oral das grávidas e crianças portuguesas. Algumas das principais recomendações são as seguintes:

• Até aos três anos, não se deve fazer nenhum tipo de suplementação com flúor.

• A escovagem dos dentes deve iniciar-se logo após a erupção do primeiro dente, com os seguintes cuidados:

Deve ser realizada, no mínimo, duas vezes por dia, sendo uma delas obrigatoriamente antes de deitar, depois da última refeição do dia (incluindo o leite).

O dentífrico deve ter 1000-1500 ppm de flúor, aspeto extremamente importante e que deve ser confirmado sempre pelos pais.

A quantidade de dentífrico a utilizar em cada escovagem é do tamanho da unha do quinto dedo (mindinho) da criança.

• Após os três anos continuam a desaconselhar-se os suplementos de flúor, mas devem utilizar-se elixires com flúor, particularmente em crianças cujos hábitos alimentares aumentem a probabilidade de desenvolver cáries (consumo de doces, por exemplo).

• A escovagem dos dentes deve ser fomentada nos jardins de infância e escolas, tal como o ensino de bons hábitos alimentares e de higiene oral.

• Até aos três anos, os pais devem escovar os dentes dos filhos, mas entre os três e os seis deve ser estimulada a progressiva autonomização da criança, sempre sob supervisão de um adulto.

São estes os princípios que todas famílias devem seguir, mas é importante reforçar ainda mais três aspetos:

• A escovagem dos dentes deve ser bem realizada. O tempo que deve demorar é cerca
de dois minutos, bem mais do que a maior parte
das pessoas despende nesta atividade. Devem ser escovadas todas as faces dos dentes (de fora, de dentro e a zona com que os dentes “trincam”) e, no fim, deve-se escovar também a língua.

• Devem evitar-se os alimentos cariogénicos. Todas as crianças devem ter hábitos alimentares o mais saudáveis possível, pelo que os doces não podem ser regra.

• Os pais têm de ser um bom exemplo - este é, provavelmente, o conselho mais importante. Todas as crianças aprendem com os pais, pelo que se eles valorizarem bons hábitos de higiene oral também os filhos o farão.

POR ISABEL JACINTO
Farmacêutica

Se iniciada cedo, a higiene oral permite o crescimento, desenvolvimento e funcionamento adequado da dentição infantil. Mas, para que possa ajudar os seus filhos a proteger os dentes e as gengivas, e a reduzir o risco de desenvolver cáries, é fundamental conhecer os cuidados de higiene oral mais adequados a cada idade. A sua farmácia ajuda-o nesta tarefa.

A higiene oral deve começar mesmo antes da erupção dos primeiros dentes. Para tal, após a amamentação, deve limpar as gengivas do bebé com uma gaze embebida em água.

Após surgirem os primeiros dentes, estes devem ser escovados pelos pais com uma gaze, dedeira ou escova de dentes de cerdas macias. As dedeiras são, normalmente, feitas de silicone e encaixam-se no dedo indicador; oferecem maior controlo nos movimentos para que, desta forma, não magoe o bebé.

A partir dos três anos de idade, a escovagem deve começar a ser realizada, progressivamente, pela criança, com a devida supervisão e ajuda dos pais.

Ao escolher a escova de dentes, tenha atenção:

•  à idade indicada na embalagem do produto;

•  ao tamanho da escova – deve ser adequado à boca da criança;

•  à dureza das cerdas – macia (para crianças mais pequenas) ou média.

A escova deve ser substituída, por norma, de três em três meses ou quando verificar que as cerdas começam a ficar deformadas.

Dica: para incentivar a higiene oral diária do seu filho, opte por adquirir escovas de dentes com figuras infantis.

A utilização de um dentífrico fluoretado, associada a uma escovagem criteriosa, é uma das medidas mais eficazes na prevenção da cárie. Na hora de escovar, tenha em atenção:
•  o ângulo: a escova deve ser inclinada em direção à gengiva;

•  os movimentos: devem ser curtos e suaves, horizontais ou circulares, e abranger dois dentes de cada vez;

•  a sequência: deve iniciar-se a escovagem num canto do rosto, e terminar do lado oposto.

Para uma higiene oral completa, com remoção da placa bacteriana que se acumula nos espaços entre os dentes, onde a escova não consegue chegar, deve recorrer-se ainda ao uso de fita/fio dentário. Deve apostar-se na sua utilização, normalmente, a partir dos oito anos, tendo em consideração a autonomia e destreza manual
de cada criança.


Pub
Pub