OPERAÇÃO REGRESSO ÀS AULAS

EO 2021 Opinião | Carla de Menezes Cohen, Psicóloga Educacional
  • slider

Enquanto uns desfrutam das últimas semanas de férias, outros antecipam a azáfama do regresso às aulas.

As crianças, e os adultos, podem desenvolver sentimentos contraditórios em relação a este regresso: surge a melancolia motivada pelo fim das férias, a ansiedade em iniciar a escola, a excitação de rever os colegas...

Não há tempo como o presente para falar das expetativas geradas pelo início escolar. A aceitação de que existem sentimentos de ansiedade e a promoção da sua expressão é essencial para o estabelecimento de um tom positivo sobre a aprendizagem. Em crianças com ansiedade de separação, a dispersão física por diferentes divisões da casa ou a supervisão por outro adulto de referência, poderá fomentar o sentimento de autoeficácia. A transmissão clara da previsão do tempo de separação e a criação de um ritual exclusivo de despedida contribuirá para um aumento da confiança.

Em modo de férias, sem horários definidos, o retorno à rotina assume grande importância. A transição deve apresentar mudanças passo a passo. Gradualmente o despertar deve aproximar-se da hora prevista em tempo escolar. Para crianças mais velhas, estimule a responsabilidade para ajustarem o alarme e desenvolverem a sua rotina da manhã. Também o momento de deitar deve progressivamente aproximar-se da hora em período escolar, associando-o a uma rotina consistente. Assumir que deitar mais cedo na véspera do primeiro dia de aulas é suficiente não é de todo sensato!

As férias promovem atividades que nem sempre incluem a leitura. É frequente assistir-se a um alienamento das tarefas que apresentem semelhanças com a escola. A inclusão progressiva de atividades de leitura facilitará a transição para o período de aprendizagem. Poderá incorporar esta competência em atividades divertidas em família.

Para um recomeço em pleno, a possibilidade de as crianças escolherem os seus materiais escolares constituirá uma motivação acrescida. Envolva-as na parte divertida de ir às compras, guie-as no processo pela compreensão dos custos envolvidos, mas permita que selecionem os motivos do seu interesse.

Poderá pensar em atividades possíveis antes do retorno à escola e porque não organizar um evento de despedida das férias? Contudo, o regresso às aulas não deve ser entendido como o fim dos momentos divertidos, é um período de novas experiências, novas aprendizagens, novos desafios. É sempre tempo de fazer boas memórias que perdurem para a vida!

Carla de Menezes Cohen, Psicóloga Educacional & Técnica Superior de Educação Especial e Reabilitação.