RIO MINHO: UMA TORRENTE DE EMOÇÕES

EO 2020 Porto e NorteNaturezaM/0
  • slider

O Vale do Rio Minho apresenta uma grande riqueza natural e um excelente leque de equipamentos que foram a fonte de inspiração para mais uma sugestão de um fim-de-semana preenchido em família.


De Caminha, onde se situa a foz do rio, siga na direcção a Vila Nova de Cerveira, também chamada "Vila das Artes". Aqui, torna-se imperativa uma visita ao Aquamuseu do Rio Minho. Situado na zona do Parque de Lazer do Castelinho, este equipamento tem como principal objectivo promover e divulgar o património natural da bacia hidrográfica do Rio Minho. Aqui, os visitantes fazem um percurso que simula a descida do rio Minho, desde a nascente até à foz. Muito irão aprender durante o percurso. Sabia que uma truta pode viver cerca de dez anos? E que tanto a lampreia como a enguia depois de desovarem morrem? A lista de novas informações é interminável e fascinante. O aquário que representa a foz, pelo seu tamanho e a variedade de espécies por ali nadam - mais de 50 - deixa os miúdos encantados. Este equipamento integra ainda o Museu das Pescas, onde estão expostas, artes de pesca antigas e recentes.

Depois da vista, explore a área exterior do edifício e o "lontrário". Duas sugestões para dias de bom tempo: o Parque integra um trilho botânico que permite a visualização das mais de 20 espécies autóctones e aqui actuam empresas náuticas que efectuam passeios fluviais com destino a Valença, Tui ou Foz do Minho. Aproveite!

É agora tempo de rumar ao topo do Monte do Castro, onde encontra uma panorâmica fabulosa da vila e da sua envolvente. Basta procurar a escultura do cervo. E se for um apreciador de artes plásticas, não deixe escapar o espaço Museológico do Convento de San Payo. Este apresenta um vasto património artístico que acompanha o visitante até à mata e lagoas do convento. O Convento disponibiliza programas que vão da visita guiada, a actividades ambientais, oficinas de barro, e actividades de dramatização e movimento corporal. Consulte o site.

A próxima paragem é Valença do Minho, aqui a visita ao centro histórico, com as suas muralhas e canhões nas vigias, é obrigatória. Depois, já de barriga cheia, procurem a Ecopista do Rio Minho construída sobre a antiga linha férrea Valença-Monção, este percurso tem cerca de 13 quilómetros, o que poderá ser duro para os mais novos, seja a pé ou de bicicleta.

Logo à entrada da Ecopista, encontra-se um centro de interpretação, com informações sobre o percurso e as vivências ferroviárias nesta antiga linha. Faça-se ao caminho e à sua volta só encontrará verde e o rio Minho sempre a espreitar lá em baixo.

Para dormir, o Hotel Monte Prado, na encosta do Rio Minho, em Melgaço é um verdadeiro Hotel de família, com todas as comodidades e distracções que os miúdos adoram e o Spa que tanto agrada aos graúdos. Já as Pousadas de Portugal, de D. Diniz (Vila Nova de Cerveira) e S. Teotónio (Valença) são apostas sempre garantidas. No que diz respeito a turismo rural, esta zona é um "mundo", arriscamos a sugerir as casas de aldeia da Branda da Aveleira, para quem prefere este tipo de alojamento.

Para o segundo dia fica o centro histórico de Monção e a Vila de Melgaço. Esta última tem uma história riquíssima e apresenta equipamentos de grande qualidade, dos quais destacamos: o Museu do Cinema, e a sua exposição permanente dedicada ao Pré-Cinema e o Espaço Memória e Fronteira, dedicado à história do contrabando e da emigração nesta região (informe-se sobre o bilhete conjunto).

Se ainda tiver tempo, energia e disposição só falta fazer rafting no rio Minho, são muitas as empresas a operar nesta área e garantem que vale a pena a aventura! Boa sorte!

Conheça mais aqui.