O CANHÃO MAIS FAMOSO DE PORTUGAL

EO 2019 Centro de PortugalMuseu
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider

Não é nem do século XVII ou XVIII, não está em nenhum castelo ou fortificação, nem é feito de ferro ou outro metal. Está vivo e é vigiado 24h por dia. Já ouviu falar do canhão da Nazaré?

O surfista Garrett McNamara tornou-o célebre em 2011, ao surfar uma onda gigante produzida neste desfiladeiro submarino de origem tectónica que se situa ao largo da Nazaré. É considerado, por muitos, o maior da Europa. Tem cerca de 211km e atinge profundidades na ordem dos 5000 metros. Impressionante, não é? Está na altura de rumar à Nazaré para um agradável passeio em busca das ondas gigantes… e não só!

A Nazaré é um local lindíssimo e com várias atrações mas para os mais novos. A descoberta da onda gigante dá o mote deste passeio e para que a visita comece da melhor maneira, deixe o carro na baixa da Nazaré e vá até ao Sítio pelo elevador. Uma pequena aventura até ao topo. São 318 metros a subir, com uma inclinação de 42%. É incrível! Para os mais pequenos vai ser uma novidade e a vista é deslumbrante.

Depois de um pequeno percurso a pé, aparece o Centro Interpretativo do Canhão da Nazaré que está no Forte de São Miguel Arcanjo. Lá dentro, o Centro Interpretativo do Canhão da Nazaré dá-nos a conhecer melhor este fenómeno da Natureza. Há uma maqueta em três dimensões do canhão e a sua influência na criação da onda gigante. Com a ajuda do Instituto Hidrográfico ficamos a saber o básico em relação ao canhão, como se formou, as rochas que o constituem, o porquê de existir naquele local, entre outras curiosidades.

Poucos saberão que muito perto da zona onde se forma a onda gigante, que se vê da varanda do forte, há um segredo no mar. É verdade. Desde a 2ª Guerra Mundial que no fundo do mar jaz um submarino alemão, o U-963, que ali foi afundado pela própria tripulação, dias depois do fim da Guerra. Uma história para descobrir neste centro bem como as espetaculares fotografias de Garrett McNamara a surfar a onda gigante, expostas numa das salas do Forte de S. Miguel.

Na Nazaré seria indesculpável não visitar o Sítio com mais atenção e fazer um passeio a pé para se ver o local onde, diz a lenda, foi encontrada a imagem de Nossa Senhora esculpida pelo próprio S. José e pintada por S. Lucas. Junto ao desfiladeiro que dá para a vila, mostre aos mais pequenos o local onde estão as marcas das patas do cavalo de D. Fuas Roupinho, que teria sido salvo milagrosamente de morrer na queda do desfiladeiro quando perseguia o Diabo disfarçado de veado. Esta história, que os vai deliciar, pode ser vista nos painéis pintados na sacristia do Santuário de Nossa Senhora da Nazaré. É como ler um livro aos quadradinhos! Também há um pequeno museu de arte sacra que é visitável. Como vê, não falam motivos para este passeio nos encher o porta-bagagens de boas memórias no regresso a casa.

INFORMAÇÕES:
Centro Interpretativo do Canhão da Nazaré
262 561 194