AQUAMUSEU, OU COMO VIAJAR NO RIO MINHO

EO 2021 Vila Nova de CerveiraVisita3.ª a Dom.: 10h-12.30h, 14h-18hM/02€
  • slider
  • slider

Em Vila Nova de Cerveira, há um museu onde crianças e adultos podem conhecer um dos principais rios internacionais de Portugal, o rio Minho. Uma viagem da Nascente até à Foz. Para aproveitar bem o dia, vá preparado para fazer um piquenique e aproveitar o Parque do Castelinho.

1. O rio Minho nasce na Serra da Meira, em Espanha, e até chegar ao mar, em Caminha, viaja cerca de 330 Km. Os últimos 75 Km são em Portugal, onde faz fronteira entre os dois países. E é numa das margens do rio que está, em Vila Nova de Cerveira, o Aquamuseu. Ao entrarmos neste espaço espera-nos uma viagem singular e muito educativa.

2. A viagem pelo rio Minho é feita através de nove aquários. Cada aquário representa um segmento do rio. Nos aquários que representam a zona alta, é possível ver, entre outros peixes, trutas e bogas. Já na zona média, onde há uma barragem e um afluente, vemos peixes migradores como o salmão e a lampreia. Finalmente, na zona baixa, mostra-se um banco de areia e um sapal, onde vivem as tainhas, as solhas e o peixe-rei.  Por fim, no último aquário, há uma representação de uma poça de maré depois da foz do rio Minho, com robalos, sargos, mexilhões e anémonas. Como vêm, saímos do museu a conhecer uma grande variedade de peixes.

3. Grande atração, principalmente para os mais novos, é o ontrário.  Excelente oportunidade para ver um animal que tem sido perseguido pelo Homem ao longo dos tempos. Alvo da caça, para aproveitamento da pele e para consumo, ou então pela destruição das margens e poluição, as lontras já desapareceram de alguns países do Norte da Europa. Em Portugal, pelo menos no Aquamuseu ainda podem ser vistas para delícia, principalmente das crianças.

4. O Aquamuseu é, ainda, um verdadeiro guardião da memória coletiva das populações que vivem ao lado do rio. Podemos acompanhar a história da relação da população com as águas na exposição permanente do museu.  Desde ferramentas e utensílios da pesca artesanal até agulhas para redes, canas de pesca, velas e armadilhas para pesqueiras, ou diversos tipos de embarcações, de diferentes épocas, tudo nos leva para um tipo de vida que vai desaparecendo.

No acervo, podem ainda conhecer uma série de documentos relacionados com a pesca artesanal, como cédulas de inscrição marítima e registos de propriedade de embarcações, alguns do século XIX. construção dos barcos, a manutenção das redes, as diferentes artes de pesca A incluindo de algumas zonas da Galiza, são outras realidades explorados no Museu das Pescas, através da mostra de maquetes, utensílios, instrumentos em tamanho real e fotografias.

5. Terminada a visita ao museu, nada como desfrutar do espaço onde ele está inserido; o Parque do Castelinho. Trata-se de uma zona ribeirinha, onde poderão encontrar um agradável parque aquático que é uma delícia para fazer piqueniques. No Castelinho é possível alugar bicicletas, canoas e ainda testar as habilidades no minicampo de golf.

6. A não perder mesmo, antes de sair de Cerveira, é a vista do miradouro do Cervo. De lá poderão encontrar uma das melhores vistas panorâmicas de Portugal, o rio Minho e a ilha da Boega, uma ilha em forma de coração. É linda.