OS ESTÁDIOS TAMBÉM TÊM MUSEUS E OUTRAS COISAS

EO 2016 Todo o PaísPasseios Desportivos
  • slider

E quem disse que o futebol não dá para fazer um espetacular passeio em família? É que nos estádios também há museus e muitas histórias para contar.

Os três grandes clubes portugueses de futebol, o Benfica, o Sporting e o Porto, são todos respeitáveis senhores com mais de cem anos. Têm, por isso, muitas histórias para contar, muitos troféus para mostrar e muitas memórias para fazer vibrar qualquer adepto. E todos têm lindos e modernos estádios.

Um passeio ao estádio, para além dessa viagem ao passado do clube é, também, uma viagem ao mundo escondido dos grandes recintos desportivos e uma verdadeira emoção, especialmente para os rapazes (claro está). Escolha um dia em que não há jogo.

No Benfica há as Stadium Tours, visitas guiadas em que os adeptos vão até ao relvado, sentam-se no banco dos suplentes e até ficam a saber a tática adversária no balneário dos visitantes A visita começa pela Eusébio Gold Exhibition, exposição que celebra os 50 anos da chegada do pantera negra a Portugal - e homenageia a carreira do futebolista. Bola e botas de ouro, camisolas, fotografias e muitas, mesmo muitas taças (a dos campeões) enchem a Sala dos Troféus. Na sala de imprensa, quem quiser pode sentar-se no lugar dos jogadores e treinadores e simular que está a falar com os jornalistas. Vibrante vai ser percorrer o túnel de acesso ao relvado antes de se chegar ao famoso inferno da Luz, a magnífica bancada do Estádio que dá para o relvado (que não se pode pisar).

E aquilo que se vive no Luz, vive-se também no Dragão ou no Estádio de Alvalade. As visitas têm pontos muito semelhantes… mas há sempre algumas diferenças, ou não fossem clubes diferentes.

No Dragão pode-se visitar o camarote presidencial, a zona mais exclusiva do Estádio. A vista para o relvado é magnífica. Também se podem visitar os balneários, no caso, os da equipa visitante.

Já no Sporting os balneários visitados são mesmo os da equipa leonina. Também em Alvalade, tal como nos outros dois estádios, há a possibilidade de descer ao relvado, sem o pisar, e sentir ao vivo como será estar lá em baixo a olhar para uma banca da cheia de adeptos.

Nenhuma visita ficaria completa sem a ida ao museu do clube. Nas paredes e nas vitrinas estão anos e anos de história, muita desconhecida de quem domingo após domingo vibra com os feitos destes três grandes clubes portugueses.

Este é um passeio daqueles difíceis de esquecer!