ÁRVORES CENTENÁRIAS

EO 2020 FunchalPasseio2ª a 6ª: 9h-17.30hM/00€
  • slider
  • slider

ATIVIDADE GRÁTIS

O Dragoeiro é uma espécie endémica das Ilhas Canárias, Madeira e Cabo Verde, mas só poucos podem ser encontrados a crescer num ambiente natural. Com o objetivo de assegurar a continuidade desta espécie, o Núcleo dos Dragoeiros das Neves visa conservá-los. O Jardim está localizado no Caminho da Portada, em São Gonçalo, Funchal.

Neste centro são realizadas visitas guiadas ao jardim de plantas indígenas e endémicas, ao Núcleo de Dragoeiros centenários e, ao longo do jardim encontra várias plantas comuns ao litoral.

O Dragoeiro é uma planta de crescimento lento, perenifólia, podendo atingir 15 a 20 metros de altura, com a copa em forma de umbela. As folhas são glabras, estreitas e longas, de cor verde acinzentada. As flores, brancas, agrupadas em grandes inflorescências surgem entre Agosto e Outubro. As suas bagas são carnudas, vistosas, de cor amarelo alaranjada.

Do ponto de vista fitossociológico, o dragoeiro encontra-se ligado à vegetação do litoral, de características xerofíticas, preferindo as encostas rochosas e soalheiras.

A sua área de ocorrência natural é a Macaronésia, à exceção do arquipélago dos Açores. Outrora abundante em Porto Santo, encontra-se hoje extinto, sendo raríssimo na Ilha da Madeira.

A seiva do dragoeiro foi muito usada na tinturaria e para fins medicinais, tendo a planta, na atualidade, uma utilização ornamental largamente difundida em parques e jardins.

O jardim pretende assegurar a continuidade dos dragoeiros centenários e salvaguardar para o futuro tão valioso património. Além do Núcleo de Dragoeiros centenários existe um jardim com vegetação indígena do litoral da Madeira, com alguns exemplares endémicos da Madeira e do arquipélago. Esta vegetação foi plantada por ser característica da área de ocorrência dos dragoeiros e para criar uma faixa de proteção aos mesmos que ali vivem.