TECNOLOGIA, PARA QUE TE QUERO? VANTAGENS E PERIGOS ASSOCIADOS À VIDA EM REDE

EO 2021 Pedagogia | Com Apoio: Staples
  • slider

A utilização da tecnologia tem vindo a ganhar cada vez mais espaço na rede escolar. Com as vantagens, vêm também os perigos, nomeadamente o ciberbullying. Tome as suas notas sobre esta matéria e fique atento aos sinais.

A tecnologia apresentou-se como uma grande mais-valia em ambiente escolar, já que, por esta via, professores e alunos trocaram aprendizagens, à distância de um clique, a partir das suas casas. Que futuro para esta ferramenta no ensino, já desconfinado, e quais os cuidados a ter, nomeadamente em fenómenos perigosos como o ciberbullying?

Para os professores, o ensino à distância ainda se constitui como um verdadeiro desafio, de uma exigência à altura de grandes heróis. “Desliga o micro”, “liga o micro”, “estás por aí?”, “tens a câmara desligada, não te vejo!”, “não falem todos ao mesmo tempo, porque não se se consegue ouvir”, “fomos abaixo…” foram algumas das frases mais ouvidas e vividas quando a “sala virtual” era a única solução à vista.



Com o retomar das aulas presenciais, e a segurança que cada vez mais se faz sentir, os computadores e os tablets tomaram o seu descanso, bem como os professores e os alunos, ansiosos pela presença física, pela troca de olhares e dos bons dias. Mas será que a viragem que já começou no processo do ensino deve ficar por aqui? O ensino deve estar cada vez mais preparado para este tipo de “embates” e empoderar-se com novas metodologias de trabalho?

Se muitos professores já usavam a tecnologia como suporte para dar parte das suas aulas, a pandemia veio chamar a atenção para o lugar central que estas ferramentas tendem a ocupar, devendo estar cada vez mais ao alcance de todos, não apenas como complemento, mas como elemento quase central do dia a dia de alunos e professores.

TECNOLOGIA: UMA JANELA ABERTA PARA O MUNDO
Através da tecnologia e da grande rede que é a Internet, é possível, com um simples clique, visitar lugares, conhecer novas culturas em qualquer parte do mundo ou ler um livro.

Por que não utilizar todo este potencial a favor de aulas mais interativas? O ambiente online fornece muitas formas de transmitir a matéria, em alternativa às metodologias tradicionais: seja através de aplicações, de sites e plataformas educativas, de jogos - ferramentas que podem contribuir para dar conteúdos de maneira inovadora e sem perder o lado pedagógico.
Neste ambiente, os alunos estarão automaticamente motivados e dispostos a aprender, já que é um hábito que vem de fora para dentro da escola, aplicado agora às diferentes disciplinas.

Por seu lado, os professores podem ir testando novas formas de preparar e de trabalhar os conteúdos programáticos, adaptando aqueles que tiverem melhores resultados, consoante o nível de escolaridade e as características da turma. Este será um processo de aprendizagem constante.

CUIDADOS A TER E RISCOS ASSOCIADOS: O CIBERBULLYING

Apesar dos muitos benefícios associados especificamente à Internet, a segurança de crianças e adolescentes neste mundo virtual é fonte de preocupação para as escolas e para as famílias. É preciso estar atento e sensibilizar também os pais para este tipo de questões.

Uma utilização desta grande rede sem controlo parental pode levar até casa problemas sérios e difíceis de gerir, como o ciberbullying, ou seja, o bullying em contexto digital.
O conceito consiste na violência psicológica exercida a uma pessoa através, por exemplo, da criação de perfis falsos em fóruns ou redes sociais, com o objetivo de proferir comentários humilhantes sobre as vítimas, ridicularizando-as e fazendo-as sentir mal.

ATENÇÃO AOS SINAIS!

Esta é uma questão a que os professores e os pais devem estar muito atentos, já que a criança pode omitir este tipo de situações, mesmo sendo alvo delas, ou demorar muito tempo a partilhar o que possa ter acontecido. Além de ter medo do que os adultos possam pensar sobre ela, tem igual receio de perder o acesso às tecnologias digitais.

O ciberbullying pode manifestar-se ao nível mental – a pessoa sente-se chateada, constrangida, incapaz, até mesmo com raiva – emocional, com sentimentos de vergonha ou perda de interesse pelas coisas de que gosta, e física, com manifestações de cansaço (ou perda de sono), sintomas como dor de barriga e de cabeça. Em casos extremos, o cyberbullying pode levar ao suicídio.

ENTIDADES PARCEIRAS PRONTAS PARA AJUDAR

A 21 de abril, assinalou-se o Dia Nacional de Sensibilização sobre o Cyberbullying. A APAV – Apoio à Vítima tem vindo a assegurar iniciativas de caráter preventivo, informativo e formativo nesta matéria, quer no âmbito de projetos promovidos pela APAV, quer correspondendo a pedidos de escolas e associações de pais e de estudantes.

Como os efeitos negativos da violência em ambiente digital são realmente preocupantes, a APAV lembra que nunca é demais acautelar para uma maior ponderação e sensibilização sobre este fenómeno, aproveitando para recordar a importância de todos favorecermos relações saudáveis entre pares.

O Projecto MiudosSegurosNa.Net (www.miudossegurosna.net) também ajuda as escolas, as famílias e as comunidades a promover a utilização responsável e segura das novas tecnologias de informação e comunicação por crianças e jovens.

A Direção-Geral da Educação desenvolve ainda um conjunto de iniciativas e de recursos de prevenção e combate ao bullying ecCiberbullying no âmbito do Centro de Sensibilização SeguraNet e da Equipa de Educação para a Saúde (www.dge.mec.pt/bullying-e-ciberbullying).

Pesquise sobre o tema e mantenha-se o mais informado possível. Troque impressões com outros colegas e aumente a sua bagagem de ferramentas para ajudar a proteger os alunos que tem a cargo de experiências que os podem marcar para o resto da vida.

Com apoio: