MASTERCHEF EM FAMÍLIA

EO 2020 Desafio
  • slider

Sem ideias para o fim de semana com as crianças? E que tal um desafio de Masterchef em família?

As refeições principais do dia são muito importantes, não só pelas escolhas alimentares que fazemos e pelos nutrientes e energia que os mesmos nos proporcionam, mas também porque são momentos que podemos aproveitar para conviver, conversar e estar com quem gostamos.

É importante sentarmo-nos à mesa com a família sem pressa, aproveitando a experiência da refeição na sua totalidade. Num tempo em que passamos mais tempo fechados em casa temos uma excelente oportunidade para cuidar destes momentos juntos e de desafiar as crianças a colaborarem e ajudarem.

Para este fim de semana, propormos um desafio que vai agradar tanto a miúdos como graúdos. Para além de ter um resultado delicioso, promete levar para a sua cozinha uma grande dose de gargalhadas e boa disposição!

Primeiro passo
A primeira coisa a fazer é escolher um júri, que vai coordenar o jogo e contar a pontuação. É um elemento muito importante pois no final será quem decide qual a equipa vencedora e qual o melhor cozinhado. O júri vai escrever em cinco papelinhos diferentes, cinco ingredientes para cada categoria (salgados e doces).

Por exemplo:

Doces - banana, nozes, chocolate, uvas, bolacha Maria.

Salgados – amendoim, ovos, atum, queijo, bacon.

Depois, dividem a família em duas equipas. Se forem muitos elementos podem fazer mais equipas consoante considerarem necessário. Cada uma das equipas vai ter o desafio de preparar um petisco salgado e uma sobremesa.

O júri vai dobrar todos os papelinhos e colocá-los em dois pequenos sacos: um para os papéis da sobremesa e outro para os papéis dos salgados. Cada equipa retira um de cada. O ingrediente que calhar, será o ingrediente obrigatório que as receitas têm de ter. Se se esquecerem deste ingrediente, ficam automaticamente desqualificados. Como não podemos sair de casa, é importante que o júri se certifique primeiro que todos os elementos obrigatórios estão disponíveis.

Segundo passo
O júri vai dar dez minutos a cada equipa para pensarem nas receitas que querem preparar. Podem usar os telemóveis para pesquisar ideias novas e receitas que ainda não conhecem. Sejam criativos, a originalidade também conta!

Terceiro passo
Em circunstâncias normais, o terceiro passo seria irem todos ao supermercado, dividirem-se por equipas e em dez minutos, encontrarem todos os ingredientes que precisam. Aqui a pontuação já começa a contar, pois ganha mais pontos a equipa que conseguir arranjar os ingredientes mais depressa e a gastar menos dinheiro.

Como não podemos sair de casa, adaptámos este terceiro passo. O júri vai dar dez minutos para cada equipa descobrir em casa os ingredientes que precisa para as suas receitas. Se não tem aquilo que pensaram, adaptem o cozinhado, transformem ou criem algo. Ganha mais pontos a equipa que reunir todos os ingredientes mais depressa desarrumando menos a cozinha e a despensa.

Quarto passo
O quarto passo é pôr as mãos na massa! O júri define um tempo para cada equipa usar a cozinha e terminar a receita. Para além do sabor dos pratos, vai contar para a pontuação a originalidade do prato, a utilização do ingrediente obrigatório, se respeitaram o tempo definido pelo júri, a playlist de música escolhida durante o tempo de cozinha, o espírito de equipa e boa disposição e se deixaram tudo limpo e arrumado no final.

Quinto passo
Depois de ambas as equipas terem terminado os seus pratos e petiscos, chegou a hora da verdade. Uma vez posta a mesa, o júri senta-se e as equipas trazem as suas obras maestras. Cada equipa escolhe um porta-voz que vai apresentar os pratos, sendo necessário:
- Dizer o nome de equipa e a razão pela qual escolheram aquele nome.
- Nome e descrição dos pratos
- Dizer como e se utilizaram o ingrediente obrigatório

O júri é o primeiro a provar todos os pratos e a salientar os pontos fortes e fracos de cada um deles (se houver pontos fracos claro). Depois, anuncia o vencedor e é a vez de toda a família se deliciar com os pratos preparados.

Quem sabe se não se descobrem novos talentos culinários?