A VEZ DAS DEUSAS. CARTAZES DA ÍNDIA NO MUSEU DO ORIENTE

EO 2021 LisboaAtividades Pedagógicas e LúdicasAté 3 Out., 3.ª a Dom.: 10h-18hM/00€
  • slider

ATIVIDADE GRÁTIS

“A Vez das Deusas. Cartazes da Índia no Museu do Oriente” chega ao Museu do Oriente para assinalar mais um aniversário. A exposição, com entrada gratuita, viaja pela história dos cartazes Indianos enquanto objetos de devoção, para o culto aos deuses.

A partir do final do século XIX, com a introdução das prensas para litografia na Índia pela mão dos colonos britânicos, os cartazes de divindades hindus tornam-se amplamente populares. Antes disso, as imagens de divindades eram pintadas à mão e comercializadas numa escala relativamente pequena.

O interesse público generalizado pelos cartazes fez crescer o mercado: às representações de divindades hindus como imagens de devoção e imagens para devoção juntam-se imagens com propósitos políticos e comerciais.

A representação das divindades nos cartazes é construída na fluidez do politeísmo hindu com o seu panteão de deuses e deusas, que se multiplicam em formas e manifestações. Deva (deus - na forma masculina) e Devi (deusa - na forma feminina) complementam-se e dividem-se.

Encontramos Brahma, Shiva e Vishnu, deuses maiores, ao lado de Saraswati, Parvati e Lakshmi, as suas deusas consortes. Esta dualidade clássica de género leva a crer que estamos perante uma representação submissa e maternal das divindades femininas às divindades masculinas.

Contudo, o panteão hindu apresenta-nos Kali, Durga, Shakti - formas independentes e ferozes da Devi, que são autónomas e adoradas individualmente. Outras manifestações caracterizam-se pela androginia ou estão ligadas à comunidade LGBTQ+.

Através de elementos visuais auspiciosos com cores fortes e visualmente estimulantes, os cartazes são assim um reflexo da época em que se encontram. Os cartazes tiveram um papel importante na forma como são representadas as divindades ou como se pretendem que sejam representadas: humanizaram as divindades, dotaram-nas de características humanas mas também mais ocidentais. Rostos mais finos, tons de pele mais claros, músculos mais definidos nos deuses e corpos mais delgados nas deusas são mudanças visíveis nestes objetos.

Atualmente, os cartazes continuam a ser objetos de devoção que habitam o quotidiano da Índia, que preenchem o espaço público e reclamam atenção através das suas imagens fortes e visualmente estimulantes.

A exposição conta com cartazes variados, com destaque para seleção dos que contêm divindades hindus femininas. A Vez das Deusas pretende apresentar as várias manifestações e representações da devi, explorando dimensões sociais e culturais como a religião e as questões de género.

Olhamos as deusas dos cartazes da Índia e vemos mulheres fortes, frágeis, poderosas e submissas. Olhamos as deusas dos cartazes da Índia e conseguimos refletir sobre os desafios de ser mulher hoje - múltipla, complexa e divina.