5 RAZÕES PARA ASSISTIR AO NOVO FILME DA DISNEY "ENCANTO"

EO 2021 Todo o País | Estreia 25 Nov.'21
  • slider
  • slider

A 25 de novembro, estreia nas salas de cinema portuguesas "Encanto", a mais recente produção da Walt Disney Pictures. A longa-metragem leva o espectador numa viagem até às montanhas da Colômbia, morada dos divertidos Madrigal.

Se a sinopse parece promissora, o por trás das câmaras não lhe fica atrás. De facto, cabem muitas curiosidades nesta aventura mágica, dedicada ao poder das famílias e às raízes culturais colombianas.

Ainda não está convencido? Apresentamos cinco razões para ir ao cinema e descobrir o mundo fantástico de "Encanto", junto daqueles quem mais gosta.

Uma carta de amor às famílias

Sob a realização de Byron Howard (Zootrópolis e Entrelaçados) e Jared Bush (corealizador de Zootrópolis), "Encanto" é 63.º filme da Disney a ser lançado. Desta vez, o foco encontra-se nas crianças da família Madrigal, todas abençoadas com um extraordinário dom, desde superforça ao poder de curar. Todas com a exceção de Mirabel, uma menina completamente normal, que se esforça por deixar uma marca no meio de tantos familiares talentosos.

Quando a magia da aldeia é colocada em risco, Mirabel é a única heroína que pode salvar o dia. "Encanto" chama a atenção para tópicos complexos como a família enquanto fonte de abrigo e valorizar aquilo que nos torna únicos. Apesar de Mirabel não ter superpoderes, consegue destacar-se pela sua enorme coragem. E também por ser a primeira protagonista da Disney a usar óculos!

Voltar às origens

Nesta longa-metragem, a Disney procurou homenagear de forma fiel o património cultural da Colômbia. Para isso, recorreu à ajuda do Colombian Cultural Trust, um grupo de especialistas na antropologia, botânica, música, linguagem e arquitetura deste país. O grupo de funcionários da Latinx Disney Animation “Família” também contribuiu para a pesquisa, ao partilhar as suas experiências pessoais.

Aliás, "Encanto" é o primeiro filme da Disney a focar-se numa única cultura sul-americana. Outras produções como Saludos Amigos, Os Três Cavalheiros e Pacha e o Imperador acabaram por abraçar tradições de vários países.

O que escondem as borboletas amarelas?

Os costumes e tradições presentes em "Encanto" estendem-se até à esfera literária. Ao longo do filme, existem referências ao realismo mágico, um género popularizado pelo autor colombiano Gabriel Garcia Marquéz.

As obras que recorrem a este estilo de ficção combinam um retrato fiel do mundo com a presença de elementos mágicos, trocando as voltas à divisão entre imaginário e realismo. "Encanto" realça a importância do género logo nos primeiros segundos de filme, quando o símbolo da Walt Disney ganha borboletas amarelas. As borboletas são um tema recorrente no livro de Garcia Marquéz Cem Anos de Solidão.

Música maestro

Não estaríamos a falar de um filme da Disney sem mencionar a tão aguardada banda sonora. "Encanto" contém várias músicas escritas pelo vencedor dos prémios Tony Lin-Manuel Miranda, conhecido por produções como Hamilton e Vaiana. Germaine Franco (Dora e a Cidade Perdida, Little e Jogo da Apanhada) compôs a restante banda sonora original.

Mas as surpresas não acabam aqui. Nomes de peso da música latina como Maluma, Sebastián Yatra e Carlos Vives integram a lista de cantores envolvidos nas melodias de "Encanto". Um filme sobre uma família tão talentosa tinha de ter uma equipa à altura!

Surpresas faladas em português

Para dar voz aos Madrigal, a Disney selecionou uma grande variedade de estrelas, muitas delas de origem latina. Stephanie Beatriz, John Leguizamo, Diane Guerrero e Angie Cepeda são alguns dos atores convidados a juntarem-se ao elenco de "Encanto".

A versão portuguesa do filme inclui caras conhecidas do teatro e televisão nacionais. Carina Leitão encabeça o alinhamento ao dar voz à destemida Maribel. Heitor Lourenço (“Bruno”), Custódia Gallego (“Abuela Alma”), Mariana Pacheco (“Luisa”), Pedro Bargado (“Felix”), Ana Cloe (“Pepa), Sissi Martins (“Dolores”), Alexandre Carvalho (“Camilo”) e Vânia Pereira (“Isabel”) tornam-se numa família emprestada ao interpretar os restantes Madrigal.