TRANSPORTE EM SEGURANÇA

EO 2017 Segurança | Fonte: Apsi - Associação Para a Promoção da Segurança Infantil
  • slider
  • slider

Viajar à solta pode comprometer gravemente a saúde de qualquer adulto.

A grávida

• Viajar à solta pode comprometer gravemente a saúde de qualquer adulto. No caso de uma grávida, a vida do bebé fica também ameaçada – ao ser projetada contra o tablier, volante, banco da frente ou exterior, também o bebé é projetado e pode embater com violência ou ficar “esmagado” pelo peso da mãe, aumentado pela velocidade do automóvel.

• As grávidas devem usar o cinto de segurança durante toda a gravidez e em qualquer viagem! Para que não provoque lesões ao bebé, deve ser colocado corretamente: a faixa subabdominal assente nos ossos da bacia e não sobre a barriga, e a faixa diagonal sobre o ombro, passando pelo esterno, e nunca por baixo do braço.

• Se viajar no lugar do passageiro, recue o banco de forma a ficar o mais afastada possível do airbag. No final da gravidez, pode ser desaconselhável conduzir devido à proximidade do airbag – verifique que mantém uma distância de pelo menos 20 cm do volante.

O recém-nascido

• O recém nascido deve ser transportado numa cadeirinha voltada para trás desde a 1ª viagem (da maternidade para casa), para que a cabeça, o pescoço e as costas sejam apoiados uniformemente, em caso de acidente, e fiquem protegidos. Escolha uma cadeirinha homologada até aos 13 kg ou 75 cm - o “ovinho” – em que o bebé viaja semissentado. A alcofa, onde a criança viaja deitada, não é aconselhada, pois a maioria dos embates são transformados em choques laterais, mais perigosos para o cérebro.

• Antes de comprar, experimente a cadeira nos automóveis em que vai ser utilizada, para ter a certeza que a consegue instalar de acordo com as instruções do fabricante – só assim será eficaz em caso de acidente!

• Instale o “ovinho” de costas para o sentido do trânsito, preferencialmente no banco de trás do automóvel. Nunca o use no banco da frente com um airbag frontal ativo! Pode optar por um modelo que seja preso com o cinto de segurança, ou com o sistema ISOFIX, se o seu automóvel estiver preparado – a cadeira encaixa em 2 pontos inferiores, na base das costas do banco do automóvel, e apoia-se num 3º ponto, no chão, para evitar a rotação, em caso de acidente. Aperte sempre o arnês (cinto interno da cadeira) e ajuste-o, para que fique apenas 1 dedo de folga entre este e o ombro do bebé.

• Nunca retire o bebé da cadeirinha com o automóvel em andamento nem o leve ao colo, mesmo que por breves instantes (por exemplo, para mamar). Todos os passageiros devem usar o cinto, no banco da frente e de trás, para não serem projetados contra o bebé. O carrinho de passeio e toda a bagagem devem ser arrumados no porta-bagagens. Se tiver mesmo que os levar dentro do automóvel, prenda-os com um cinto de segurança.




Quando trocar de cadeirinha


• O bebé pode viajar no “ovinho” até aos 13 kg, enquanto a cabeça estiver bem apoiada e o arnês ficar à altura do ombro. Não se preocupe se as pernas e os pés saírem da cadeira ou tocarem no banco; as crianças podem viajar com as pernas dobradas ou encolhidas!

• Mantenha-o de costas para o trânsito até aos 3 ou 4 anos.

Conteúdo sugerido pela APSI - associação para a promoção da segurança infantil