SER MÃE TAMBÉM É CUIDAR DE SI

EO 2019 Saúde a 4 Mãos | Opinião | Fonte: Farmácias Portuguesas
  • slider
  • slider

A maternidade e a vida profissional nem sempre são facilmente conciliáveis para as mulheres. No mês em que se assinala o Dia da Mãe, o médico Hugo Rodrigues e a farmacêutica Isabel Jacinto lembram a importância da distribuição das tarefas em casa e, também, do tempo que as mulheres devem reservar para cuidarem delas próprias.

POR HUGO RODRIGUES
Médico Pediatra

Tradicionalmente, o papel da mãe no seio familiar era quase incompatível com o papel de mulher. Felizmente, a realidade mudou bastante nos últimos anos, com a participação cada vez mais ativa das mulheres em todos os setores da sociedade, permitindo uma igualdade maior entre géneros e levando a uma redistribuição de papéis, que deve tornar as famílias mais funcionais e harmoniosas.

A atividade laboral das mulheres é, atualmente, sobreponível à dos homens, com todas as ambições e exigências inerentes a essa aproximação. A vontade de ser bem-sucedido é natural em todos os seres humanos. No entanto, por vezes criam-se dilemas, sobre os quais vale a pena pensar:

•    Distribuição de tarefas. É fundamental perceber que a divisão familiar “clássica” do pai que ia trabalhar para sustentar a família e a mãe que ficava em casa a tratar das crianças está ultrapassada e é uma visão retrógrada do funcionamento da família. As mães precisam que os pais colaborem nas tarefas de casa, tal como os filhos também precisam que os pais colaborem nas tarefas do seu dia a dia.

• Gerir o tempo. Muitas das mães atuais tiveram as suas próprias mães mais presentes em casa e menos no mercado laboral. Isso cria alguma dificuldade na gestão do tempo, já que o modelo que vivenciaram enquanto filhas foi diferente. É importante que as mães aprendam a gerir o seu tempo.

• Evitar os pesos na consciência. Não é por uma mãe se dedicar mais à sua carreira que é pior mãe, bem pelo contrário. No entanto, algumas mulheres podem sentir isso, precisamente por não ter sido esse o contexto em que viveram enquanto filhas. Nada de mais errado - Com alguma organização, tudo é possível.

Importa perceber que o ser humano é extremamente complexo, mas muito simples na necessidade de ser bem-sucedido. E, quando isso acontece, torna-se muito mais capaz de desempenhar os seus diferentes papéis. Por esse facto, é fácil compreender que as mulheres realizadas são mesmo melhores mães, mais disponíveis para ir ao encontro das necessidades dos seus filhos. E toda a gente ganha com isso…

POR ISABEL JACINTO
Farmacêutica

Ser mãe é um dos acontecimentos mais especiais na vida de muitas mulheres. Ainda assim, e com tudo o que, inquestionavelmente, tem de bom, a maternidade também pode ser sinónimo de exigências e corridas contra o tempo. Nesses momentos de maior desgaste, é importante não esquecer que um dos passos para se criar filhos felizes é ser-se uma mãe feliz.

Para um dia a dia equilibrado e uma vida plena, é essencial termos tempo para nós próprios. Nesse sentido, por que não tentar reservar, pelo menos, meia hora de cada dia para fazer algo de que realmente gosta, como ler ou dar um passeio ao ar livre? Paralelamente, é essencial cuidar de si. Aposte em pequenos gestos, como o cuidado diário da sua pele:

• Não descure a limpeza do rosto. Use água micelar ou leite de limpeza específico para o efeito, por exemplo.

• Após a limpeza, deve aplicar um cuidado hidratante adequado ao tipo e necessidades da sua pele.

• Para um rosto protegido durante o dia, e mesmo que não esteja sol, é essencial não esquecer a proteção solar.

• Para mimar a pele, pode ainda recorrer a suplementos alimentares com ingredientes como a biotina, o iodo, a niacina, as vitaminas A e C e o zinco, que contribuem para a manutenção de uma pele normal.

E se o tempo que a mãe reserva para si própria é extremamente importante para a sua felicidade, o tempo que guarda para os que a rodeiam também é fundamental. Assim, investir nas relações com os restantes familiares e com os amigos é, igualmente, um passo essencial para uma vida feliz.

Mesmo com os cuidados acima referidos, as exigências da maternidade, por vezes, fazem com que as mães se sintam sobrecarregadas. Para contrariar este cansaço, é essencial dormir bem e tentar gerir o stress (através da prática de atividade física regular, por exemplo). Aprender a pedir ajuda, ou simplesmente aceitá-la, pode também fazer toda a diferença.

Por fim, é importante recordar que não existem formas melhores ou piores de ser mãe. Todas elas são válidas, desde que toda a família (mãe incluída!) viva feliz.


Com o apoio: