SEGURANÇA NA ÁGUA

EO 2017 Segurança | Fonte: Apsi - Associação Para a Promoção da Segurança Infantil
  • slider

O verão começa e com ele inicia-se a pior época do ano em termos de afogamentos com crianças. Não deixe que este verão seja igual aos outros.

Ano após ano os afogamentos repetem-se, continuando a ser a segunda causa de morte acidental nas crianças e jovens. Em números, todos os anos morrem em Portugal cerca de 9 crianças na sequência de um afogamento e 32 são internadas. A maior parte dos afogamentos acontece com rapazes e com crianças dos 0 aos 4 anos de idade.

Os meses mais críticos são julho e agosto. O afogamento acontece em muito pouca água, é rápido e silencioso, por isso, onde quer que exista água existe perigo, seja numa piscina, num tanque, num poço, numa banheira ou num rio.

Poucos segundos podem mudar o resto da vida, e essas não são as melhores recordações que se desejam para o verão. Como tal a APSI lançou mais uma vez a campanha "A morte por afogamento é rápida e silenciosa". Pode acontecer a qualquer família, por isso estas férias tenha em conta as sugestões que deixamos.

Antes das férias

• Se for para uma casa com piscina, certifique-se que tem uma vedação.

• Faça um curso de suporte básico de vida.

• Certifique-se que quem fica com os seus filhos, mesmo por períodos curtos está consciente do risco de afogamento e conhece e adota as medidas adequadas.

Quando chegar ao local de férias

• Antes de desfazer as malas verifique o acesso a piscinas, lagos, tanques, poços, rios ou mar, enquanto outro adulto toma conta das crianças.

• Organize a casa de férias de modo a eliminar de imediato alguns perigos: esvazie baldes e alguidares e guarde-os em locais onde não possam acumular água da chuva; tranque portas de acesso a locais com água; verifique se o trinco da vedação da piscina é de fecho automático e se funciona; se a piscina tiver alarme verifique se está funcional e de onde consegue ouvi-lo.

Durante as férias

• Vigie ativamente e em permanência as crianças quando estão a brincar perto de água ou a nadar. Redobre a vigilância com as crianças mais novas ou com necessidades especiais. Se está a vigiar crianças, não beba.

• Nas piscinas insufláveis, não reduza a vigilância e esvazie-as logo após a sua utilização.

• Tenha um telefone com rede sempre à mão e coloque os números de emergência e a morada de férias em local visível.

• Estabeleça regras com as crianças mais velhas para nadar ou brincar perto de água.

• Na praia, localize o nadador salvador e informe-se sobre as precauções que deve tomar.

• As crianças que ainda não sabem nadar bem devem usar braçadeiras.

• Para andar de barco ou praticar desportos náuticos todos – crianças e adultos – devem usar coletes salva-vidas.

Ensine às crianças comportamentos seguros na água

• Nunca nadar sozinha.

• Nadar paralelamente à margem.

• Não mergulhar em pontões ou em zonas em que não conhece a profundidade.

• Nunca atrapalhar outras crianças com brincadeiras perigosas.

• Respeitar sempre as instruções do nadador salvador.


Esta é uma mensagem da APSI - associação para a promoção da segurança infantil no âmbito da Campanha de Prevenção de Afogamentos de Crianças a decorrer entre 20 de junho e 16 de setembro.

Mais informações: Site