DIA MUNDIAL DA DIABETES: UM ALERTA PARA TODAS AS FAMÍLIAS

EO 2018 Saúde
  • slider

No dia 14 de novembro, assinala-se o Dia Mundial da Diabetes. Nesta data é importante alertar e sensibilizar os pais e as crianças para a necessidade de adotarem comportamentos adequados para prevenir esta doença.

Em Portugal, segundo um estudo recente, por dia, são diagnosticados com diabetes cerca de 200 novos casos e 500 doentes são internados.

A Diabetes tipo 1 nas crianças e nos jovens em Portugal, em 2015, atingia os 3.327 indivíduos com idades entre os 0 e os 19 anos, o que corresponde a 0,16% da população portuguesa neste escalão etário, número que tem se mantido estável nos últimos anos.

No que diz respeito à população mais adulta, com idades compreendidas entre os 20 e os 79 anos (7,7 milhões de indivíduos), a prevalência estimada da diabetes é de 13,3%.

Estes números são preocupantes, sendo que em média, entre 10 a 12 portugueses morrem a cada dia por diabetes, revela o último relatório nacional da Direção-geral da Saúde.

Combater a Diabetes
Os principais tipos de diabetes são o tipo 1 e o tipo 2, que apresentam algumas diferenças, como em relação à sua causa, podendo ser autoimune, como no caso do tipo 1, ou associada a genética e hábitos de vida, como acontece no tipo 2.

Para a Dra. Mariana Azevedo, licenciada em Farmácia, “neste combate, é essencial a adoção de uma atitude Self Care (auto-cuidado e prevenção), em todas as vertentes, começando, desde logo pelo diagnóstico precoce, com medição e controlo dos níveis de glicémia, e caso se justifique, um rápido encaminhamento para o médico”.

A pré-diabetes que é um alerta para o risco de desenvolver diabetes, é também uma questão que deve ser alertada às famílias portuguesas, pois quase um quinto dos portugueses, entre os 25 e os 74 anos, apresenta níveis de glicose no sangue que evidenciam pré-diabetes. O que indica que poderão vir a ter diabetes nos próximos cinco anos.

A diabetes é uma doença que não escolhe idades e por isso é necessário que os pais estejam atentos aos sinais e que previnam, essencialmente, através da alimentação, sobretudo, se a doença for hereditária.

O combate à diabetes, nas suas vertentes de prevenção, tratamento e acompanhamento, é provavelmente o principal desafio a vencer na próxima década em Portugal.