ALMOÇAR NA ESCOLA: AS ESCOLHAS DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES

EO 2017 Nutrição | Fonte: Walk'in Clinics
  • slider

Os almoços nas escolas podem ser um desafio para as crianças e adolescentes, as opções são variadas e nem sempre são as mais equilibradas.

Desde o refeitório, ao bar da escola, os cafés e restaurantes nas redondezas ou optando pela marmita, devemos sempre fazer as escolhas mais acertadas.

É importante, desde cedo, que as crianças aprendam a fazer escolhas alimentares saudáveis e equilibradas de forma a garantir o seu bem-estar, um estilo de vida saudável e um melhor rendimento intelectual e físico.

No refeitório da escola
É comum as crianças não serem fãs da comida do refeitório da escola, muitas vezes ainda antes de provarem a refeição já a estão a rejeitar. Umas vezes porque são alimentos que não conhecem ou porque estão confecionados de maneira diferente, outras vezes porque na azáfama do refeitório são surpreendidos com diferentes opções e têm pouco tempo para escolher e decidir o que comer.

O mais importante é garantir que as crianças fazem uma refeição completa:
- Quando possível, verifique e conheça a ementa da escola de maneira a escolher a opção mais saudável e que a criança mais gosta. No início de cada semana, converse e decida, em conjunto, sobre as opções de almoço.

- Começar a refeição pela sopa, garante uma ingestão adequada de hortícolas e promove o consumo de água.

- De forma a garantir que o prato principal é uma refeição completa que fornece os nutrientes e a energia necessária, deve ser constituído por 3 tipos de alimentos: um alimento rico em proteína, como a carne, o peixe e os ovos ou tofu e seitan (alimentos que fornecem proteína de origem vegetal). Não devem faltar os alimentos que fornecem hidratos de carbono como por exemplo o arroz, massa, couscous, leguminosas e batata. É igualmente importante que no prato exista uma dose generosa desalada e/ou legumes.

- Ao evitar escolher alimentos confecionados com muita gordura, como os fritos e os salteados, ou pratos com molhos como por exemplo as natas, estamos a eleger uma refeição com menos gordura adicionada e por isso com um valor energético menos elevado.

No bar
Verifique qual a oferta alimentar que existe no bar da escola, de forma a evitar que a refeição da criança/adolescente se baseie em pizzas, folhados, salgados e bolos.

Uma boa opção pode ser uma sandes de pão de mistura com queijo fresco, atum (ao natural), frango ou ovo cozido com alface e tomate ou cenoura.

A bebida de eleição deve ser a água ou um sumo de fruta natural, evitando os refrigerantes, néctares outros sumos açucarados.

No café /restaurante
As refeições nos cafés/restaurantes não têm que ser desequilibradas. O truque está em encontrar sopas e saladas para acompanhar a refeição principal.

Esta opção pode ser problemática quando são servidas doses excessivas, caracterizadas por uma porção grande de batatas fritas e poucos legumes.

Optar pelos mini pratos, ou até mesmo dividir a dose com algum amigo/a pode ser uma excelente escolha.

No final da refeição troque a sobremesa doce pela fruta.

Lembre-se que as idas a restaurantes de fast food devem ser limitadas a ocasiões especiais ou por exemplo a uma vez por mês.

A marmita
Levar o almoço de casa pode revelar-se uma excelente opção. Assim garante que a criança gosta do almoço e não vai "torcer o nariz"!

Esta escolha possibilita que o almoço seja confecionado sem recurso a quantidades excessivas de gordura e sal. Permite ainda que a refeição seja personalizada e que as porções sejam adequadas às necessidades nutricionais específicas de cada criança.

Para que seja mais fácil gerir a logística das refeições sem ter que pensar no que vai cozinhar para o almoço de amanhã, aposte no planeamento: Elaborar uma ementa semanal ou quinzenal evita sobrecarregar as idas ao supermercado e o tempo despendido na cozinha, uma vez que garante que tem os alimentos necessários para os almoços de cada semana e que já sabe o que vai preparar, podendo aproveitar o jantar da véspera ou até mesmo deixar várias refeições preparadas e congeladas, bastando adicionar os hortícolas frescos no próprio dia.

Para além das inúmeras vantagens do ponto de vista nutricional, esta escolha pode ser a mais económica.

São inúmeras as opções para o almoço. O importante é fazer as escolhas mais certas e que sejam as mais saudáveis.




Conteúdo desenvolvido por Dra. Catarina Soares de Oliveira
Nutricionista Walk'in Clinics Alvalade.




A Walk´in Clinics tem uma equipa multidisciplinar que reúne médicos, enfermeiros, dentistas, psicólogos, nutricionistas e podologistas disponíveis para acompanhar e aconselhar ao longo do ciclo de vida.

Mude a forma como cuida de si. Comece hoje!

walkinclinics.pt
808 202 080