PERTURBAÇÕES DA LINGUAGEM: SINAIS DE ALERTA

EO 2018 Saúde | Fonte: Pin - Centro de Desesnvolvimento
  • slider

Nos primeiros anos, quando se tem um filho/a, há uma quantidade infinita de expetativas e todas elas importantes. Ainda assim, há duas enormes: primeiros passos e primeiras palavras. Relativamente às últimas até pode haver um certo despique na família quanto a primeira palavra ser ‘papá’, ‘mamã’, ‘abó, ‘abô’, ‘titi’…

Ouvir e escutar uma língua – é o modo principal que as crianças têm para aceder ao conhecimento e aprenderem. As bases da aquisição de uma língua ocorrem até aos 3 anos – 3 anos e meio e estas vão ser os alicerces, os pilares e as vigas para o sucesso da leitura e escrita, para todas as competências académicas, mas também para as interações socias e opções profissionais.

Recentemente nos Estados Unidos da América um estudo concluiu que 50% dos Pais de crianças entre os 0 e os 4 anos tinha dificuldade em identificar os sinais de alerta – a que aspetos deveriam estar atentos e estimular ou procurar a opinião de um profissional. E que por vezes, ainda que obviamente o que os Pais querem é o melhor para os seus filhos, tinham ouvido com frequência: “espere que isso passa”.

Sinais de alerta: o que se espera quanto ao desenvolvimento da comunicação em determinada idade

Desenvolvimento da audição e da comunicação das crianças:

Do nascimento aos 3 meses
Tem preferência por olhar para a face e para os olhos de humanos
Gosta de ouvir a voz de seres humanos
Acalma-se ou sorri quando falam com ele/a
Produz sons de prazer como “Hum” “ahahm”
Tem um modo ‘especial’ de chorar conforme as suas necessidades
Sorri quando vê o pai/a mãe

4 a 6 meses
Percorre com o olhar o(s) sítio(s) onde há som
Participa na tomada da vez, quando o adulto para de falar, produz sons
Balbucia de modo parecido à(s) língua(s) materna(s) e usa sons diferenciados, inclusive os sons “p”, “b” e “m”
Ri
Balbucia quando excitado/a ou descontente
Produz sons guturais quando está sozinho/a ou quando brinca

7 meses a 1 ano
Gosta de brincar ao ‘cu-cu’ e à ‘pitinha põe o ovo’
Escuta quando falam com ele/a
Compreende designações de objetos do dia-a-dia como “copo”, “sapato” ou “água”
Balbucia e ouve-se a produção de sequências de sons longos e curtos “babababa, pipi”
Comunica através do uso de gestos como por ex.: acena, levanta os braços
Produz uma palavra ou duas como: “olá”, “cão,” “papá,” “mamã” antes do seu 1º aniversário

1 aos 2 anos
Pede através do apontar e do vocalizar
Reclama ao ‘abanar com a cabeça’ para dizer que “Não”
Compreende o valor social da comunicação
Responde quando falam com ele mantendo o contacto ocular
Gosta de ouvir pequenas histórias, canções e rimas
Junta duas palavras “Mais bolacha”
Faz perguntas com uma palavra ou duas “Gato?” ou “Vai embora?”
Usa “eu” e “meu”

2 aos 3 anos
Usa palavras que chamam a atenção “olha” “ouve”
Participa em conversas breves
Introduz um tópico e muda de tópico
Exprime as suas emoções
Produz frases de duas ou três palavras para conversar ou para perguntar
Produz os sons: “c” ou “q”, “g”, “f”, “v”, “t”, “d” e “n”
Fala e é entendido/a no geral pelos familiares
Começa a demonstrar que adapta o seu modo de falar conforme fala com pessoas diferentes

3 aos 4 anos
Antecipa a tomada da vez
Termina uma conversa de modo adequado
Responde por ex.: “Está bem.” “Sim” de modo a devolver que ouviu a mensagem
Fala e brinca ao ‘Faz de conta’
Usa linguagem para brincar e contar piadas
Responde a perguntas simples “Quem?”, “O quê?”, “Onde?” e “Porquê?”
Produz frases com quatro palavras ou mais
Exprime-se com facilidade sem repetir sílabas ou palavras

Caso na sua opinião o desenvolvimento do seu filho/a esteja aquém, é importante consultar o Pediatra, a Educadora de Infância ou um Terapeuta da Fala. Nem todas as crianças necessitam de intervenção direta. A intervenção também passa por informar os Pais, e a Educadora de como estimular a criança, reduzir comportamentos e hábitos como por exemplo – demasiado tempo a brincar com tecnologia. Não fazer nada não é solução.


Artigo desenvolvido por,
Jaqueline Carmona - Linguista, especialização em gaguez


PIN - Centro de Desenvolvimento