O QUE NÃO DEVEMOS FAZER QUANDO O NOSSO FILHO TEM MEDO DURANTE O SONO

EO 2018 Sugestões
  • slider

A atividade física e mental da criança deve ser reduzida ao mínimo possível quando se aproxima a hora de ir dormir. É fundamental manter um horário certo para ir para a cama. Uma luz de presença e um brinquedo especial também podem ajudar. Mas há mais.


O que é que aparece primeiro? O medo de perder os pais? A fobia ao escuro? Não é linear. Mais ou menos por essa altura surgem também os pesadelos, que atingem o pico nos anos pré-escolares. E se é impossível evitá-los, pode-se pelo menos criar as condições adequadas para tornar o sono da criança o mais tranquilo possível.

Esta é a recomendação do KidsHealth, um dos sites de informação sobre crianças mais visitados do mundo.

Mas afinal, de onde vêm os pesadelos?

“Às vezes são uma resposta a um trauma - como um desastre natural, um acidente ou uma lesão. Para outras crianças, sobretudo as dotadas de imaginação fértil, pode ser uma consequência de estímulos exteriores: “Ler livros assustadores ou assistir a filmes de terror ou programas de televisão pouco antes de ir dormir podem desencadear pesadelos”, avisa o KidsHealth.
Por vezes, o pesadelo tem partes reconhecíveis de acontecimentos do dia, mas com um toque assustador. “Uma criança pode não se lembrar de todos os detalhes, mas geralmente consegue recordar algumas imagens, personagens ou situações e as partes assustadoras”.

Nesse sentido, os pais devem estimular ao mínimo a atividade física e mental da criança antes de ir dormir. Mais: é importante manter uma rotina e um horário certo para ir para a cama, ter uma cama confortável e, se ajudar, um brinquedo favorito. Uma luz de presença também pode ser útil.

Quando as crianças acordam de um pesadelo, “as suas imagens ainda estão frescas e podem parecer reais. É natural que se sintam amedrontadas e peçam a proteção dos pais”, avisa o site familiar.

Na idade pré-escolar, os miúdos começam a compreender que o pesadelo é um sonho, que nada do que experimentaram é real e, por isso, não lhes pode fazer mal. Ainda assim, quase todos sentem medo e precisam de apoio, até os mais velhos.

O que não devemos fazer:
Não permita que a criança veja televisão pelo menos meia-hora antes de ir dormir.
Evite jogos e brincadeiras que estimulem a sua imaginação ou assustem.
Não menospreze o medo da criança. Por exemplo, se for preciso, abra a porta do armário para mostrar que não está lá ninguém.

O que devemos fazer:
Um pouco depois de a deitar, certifique-se de que a criança está a dormir. A falta de descanso leva a distúrbios do sono e, provavelmente, pesadelos.
Se os pesadelos se tornarem regulares, anote a rotina diária do seu filho. Pode estar a passar-se algo de que não deu conta e que o assusta.
Se acordar, ajude-o a voltar a adormecer. Um abraço ou falar um pouco, e em voz baixa, sobre sonhos bons, podem ajudar.

Fonte: Vix e KidsHealth