FRUSTRAÇÃO: COMO AJUDAR O SEU FILHO A LIDAR COM ESTE SENTIMENTO?

EO 2019 Educação
  • slider

Pessoas que não aprenderam a gerir a frustração em pequenas têm mais dificuldade em adaptar-se aos problemas da vida adulta e podem até tornar-se agressivas. Conheça cinco técnicas para ensinar o seu filho a gerir os efeitos deste sentimento.

Fernando Pessoa, essa mente brilhante, disse a propósito da frustração: “Um tipo frustrado é um homem demasiado inteligente para ser um homem meramente inteligente e não bastante inteligente para ser um homem de talento”.

Pode começar por mostrar esta pérola ao seu filho. A seguir explique-lhes que aprender a gerir este sentimento, amargo, é fundamental para o crescimento.

“Tolerar a frustração significa ser capaz de enfrentar os problemas e as limitações que vamos encontrando ao longo das nossas vidas apesar do desconforto que nos podem causar. É uma atitude e, como tal, pode ser trabalhada e desenvolvida”, escreve o jornal El Mundo citando um responsável do hospital catalão Sant Joan de Dèu.
Crianças entre três e seis anos são completamente egocêntricas “porque ainda não têm nenhuma empatia com os pais ou amigos”. O seu comportamento autocentrado é a norma. “Nessas idades, eles não sabem esperar porque não desenvolveram o conceito de tempo. Também não são capazes de pensar nos desejos e nas necessidades dos que os rodeiam”. Mas a partir dessa idade, “as crianças começam a ter consciência do ambiente em redor e a sentir empatia”.

Nessa altura, é preciso começar a treiná-los para tolerar a frustração. Se estiverem habituados a ter tudo o que pedem, será mais difícil lidarem com a adversidade e aceitarem o desconforto de um fracasso. E atenção, mais vale aprenderem cedo a lição porque, na vida adulta, serão obrigados a lidar com contrariedades e fracassos sem poder fazer birra.

Crianças que não aprenderam a gerir a frustração em pequenas, terão mais dificuldade em adaptar-se aos problemas, sendo provável que reajam agressivamente e tenham acessos de raiva. Podem tornar-se terrivelmente exigentes e só agir com o intuito de uma gratificação imediata. Diz o artigo do El Mundo que também podem reagir “abandonando os trabalhos de casa, os estudos ou atividades desportivas mal surja o primeiro fracasso”. “A insegurança, a dificuldade de adaptação à mudança e a ansiedade podem tornar-se uma constante nas suas vidas”.

Aprender com o fracasso e os erros não é fácil, mas é fundamental para fortalecer a personalidade e a autoestima.

Técnicas para ensinar a tolerar a frustração

1. Dê o exemplo
Se os pais tiverem uma atitude positiva em situações adversas, estarão a dar um exemplo de como lidar com os problemas. Ficar zangado e gritar são sinais de imaturidade.

2. Deixe-o fazer sozinho
Mesmo que a criança cometa erros ou faça-os mal, tem de aprender a fazer os trabalhos de casa sozinha. Assim começará a ver o erro como algo positivo, desenvolverá as suas habilidades e fortalecerá a autoestima.

3. Valorize o esforço
O seu filho tem de aprender cedo que nada se consegue sem esforço, sob pena de, mais tarde, ser incapaz de dar valor ao que quer que seja. Vencer obstáculos e aplicar energia numa tarefa alimentam a determinação e a perseverança.

4. Não ceda a birras
São a arma preferida dos miúdos. Mas sempre que os pais cederem estarão a passar uma mensagem errada: a de que a chantagem é o caminho para alcançar tudo o que se deseja. Eles têm de enfrentar situações problemáticas e aprender com os próprios fracassos.

5. Treine as respostas construtivas
Para que as crianças entendam as suas reações ao fracasso, é preciso que aprendam a identificá-las e verbalizá-las. Conversar com elas sobre o que aconteceu e o que sentem, ajuda-as a acalmarem-se e a gerirem a frustração.

Fonte: jornal El Mundo