FÉRIAS! COMO GERIR O NOSSO TEMPO?

EO 2018 Pedagogia | Fonte: Pin - Centro de Desenvolvimento
  • slider

Por vezes, nem sabemos como aproveitar certos momentos… e há tantas formas divertidas e saudáveis de o fazer. Durante o período de férias podemos brincar e aprender ao mesmo tempo.

Após um ano de aulas todas as crianças (e também os pais) estão desejosas pelo período das férias, pois significa momentos de lazer e de despreocupação, livres de rotinas. No entanto, devem manter-se algumas, nomeadamente em relação a certos horários: como ter hora para acordar e deitar, embora ajustado à época, e para tomar as refeições, mesmo que seja mais flexível. Também convém criar momentos que impliquem estímulos cognitivos, por exemplo através da realização de jogos e tarefas, nas quais poderão desenvolver competências trabalhadas na escola ou até adquirir novas.

É, igualmente, benéfico elaborar-se, em conjunto com a criança, uma lista de atividades que terão de levar a cabo ao longo das férias. As vantagens são numerosas, a criança apropria-se de determinados saberes e desenvolve atitudes positivas: torna-se mais organizado, motivado e treina uma gestão adequada do seu tempo.

Apesar de parecer ser um contrassenso efetuar tarefas durante as férias, que apelam a conhecimentos escolares, o certo é que o nosso cérebro não para e é necessário relembrar e trabalhar determinadas aquisições, sobretudo de forma lúdica.

Neste período, os pais têm a hipótese de organizar atividades que potenciam o raciocínio lógico, a memória, a interação verbal, a concentração, o espírito crítico, a criatividade, etc., demonstrando aos filhos que se interessam com o que eles aprenderam durante o ano.

Vejamos alguns exemplos: perguntar quanto irá custar o lanche; quando estão a consumir um gelado e o pagarem com uma determinada nota questionar quanto irão receber de troco; em viagem fazê-los observar as matrículas dos carros e criar um jogo de palavras que comecem com essas letras, fazer operações com os números das matrículas, assim como outras associações; enumerar ou descrever os locais que visitaram e jogar o “Quem é Quem da Família”, a partir das caraterísticas físicas ou emocionais.

Também poderão estimular a imaginação e a criatividade, propondo um concurso de desenho, fotografia ou trabalhos manuais (por exemplo com materiais recicláveis).

As férias constituem um momento favorável para a leitura, por isso podem levar as crianças a uma livraria ou biblioteca e pô-las a ler e a falar sobre as histórias e aventuras que leram. A música também pode ser um ponto de partida para estimular a parte sensorial, emotiva e comunicativa das crianças.

Será também interessante organizar-se uma tarde gastronómica, em que poderão fazer panquecas, bolos, gelados, refrescos… pedindo-se, posteriormente, que registem as respetivas receitas ou que as organizem em livro, estimulando desta forma a escrita.

Outra hipótese para gerir as férias, poderá ser pesquisar atividades pedagógicas disponibilizadas e dinamizadas por museus e câmaras, ou outras associações, e partir à descoberta!

Não esquecer também a importância da atividade física, uma vez que é essencial para a coordenação motora e o bem-estar geral.

É relevante salientar que os seus filhos não devem estar “agarrados” à televisão, ao computador, aos jogos eletrónicos ou às redes sociais. Não se esqueçam da necessidade dos estímulos e da interação. Há todo um conjunto de atividades que se podem transformar numa alegre brincadeira, fazendo as crianças prestar atenção ao que as rodeia e relacionar as suas aquisições com situações práticas do dia-a-dia.

E já agora apostem no diálogo, já que as férias são uma oportunidade única para estarem mais tempo juntos. Aproveitem bem esses momentos!

Artigo desenvolvido por:
Tânia Capaz - Professora de Educação Especial

PIN - Centro de Desenvolvimento