ABC FINANCEIRO - A ORIGEM DA MOEDA

EO 2017 Educação | Fonte: Montepio
  • slider
  • slider

De pequenino é que se marca a diferença. Aprende de onde vem o dinheiro, para que serve e como evoluiu até aos dias de hoje.

Como era no princípio
Dantes, o comércio fazia-se como quando trocas cromos com os teus colegas. Mas, como era necessário encontrar quem não tivesse o cromo que tens repetido, as trocas diretas eram muito difíceis de realizar.

Troca direta já não dá
Para contornar as dificuldades da troca direta foi necessário encontrar um valor reconhecido por todos os povos e que pudesse ser trocado por qualquer bem. Inicialmente, optou-se pelos metais preciosos. Cada moeda tinha o valor do peso do metal em que era fabricada, valor esse que era, e ainda é, reconhecido por todos, devido à escassez do material em que era produzida a moeda.

Antes só os reis é que podiam fazer dinheiro
No passado, só os reis podiam “fazer” dinheiro. Com o ouro que tinham, produziam moedas onde cunhavam a sua face e o símbolo do reino. Hoje, já não são os reis que mandam fazer o dinheiro, mas os estados, através de instituições chamadas bancos centrais, como o Banco Central Europeu, que faz os conhecidos euros.

Os primos da moeda
A seguir às moedas vieram as notas. Mas o dinheiro teve de acompanhar a evolução do comércio com mais e melhores meios de pagamento. E assim surgiram os cheques e os cartões de débito e de crédito.

Cartões de débito
Há quem lhes chame “dinheiro de plástico” ou cartões multibanco e são uma forma de consultar a conta bancária através de uma caixa automática, levantar dinheiro e realizar pagamentos.

Cartões de crédito
São parecidos com os cartões de débito mas, ao contrário destes, o pagamento não é imediato. Isto é, pagas a compra na loja mas o dinheiro só sai da tua conta dias depois. Mas esta possibilidade tem consequências: o dinheiro que sai da tua conta é mais do que pagaste pelas compras, pois pagas juros por adiar o pagamento.


Veja também, ABC Financeiro - Onde se guarda o dinheiro?


Conteúdo elaborado com base no Programa de Educação Financeira para crianças promovido pelo Montepio. Um programa pensado para crianças, e que tem por objetivo introduzir conceitos financeiros e de realidade económica, prevenir o sobreendividamento, estimular a poupança e apoiar as famílias na organização financeira. Podes conhecer mais sobre a atividade financeira consultando o site Montepio.