A NEVE À NOSSA ESPERA

EO 2018 Centro de PortugalPasseio
  • slider
  • slider

A primeira vez que uma criança vê neve é um momento tão especial que fica para a vida. A Serra da Estrela é o lugar ideal para esse instante mágico. Algumas pistas para uma visita em cheio, num destino que alia desporto, cultura e lazer.

Que destino em Portugal nos vem imediatamente à cabeça quando pensamos em neve e frio? Não há que enganar. Ir à Serra da Estrela para mostrar a neve às crianças é mais do que um passeio; é um clássico dos clássicos.  Por isso, reserve um fim-de-semana para se deslocar a esta monumental cadeia montanhosa e passe momentos que os miúdos jamais irão esquecer. À cautela, confira a previsão do tempo antes de viajar. Afinal de contas,  trata-se da região mais alta do País, o que, no inverno, pode significar nevões e estradas cortadas.

A zona da Covilhã é um bom ponto para partir à descoberta da Serra da Estrela. Escolha um hotel confortável para se instalar neste início de viagem. Se chegar já de noite, talvez o melhor seja dormir dentro da cidade. O  clássico Hotel Solneve, uma opção bastante económica localizada em pleno centro, ou a acolhedora Casa com História, uma alternativa mais sofisticada que em tempos foi a residência de uma figura proeminente da Covilhã, são duas possibilidades de alojamento.

Vale a pena observar a vida desta pequena cidade a partir da Praça do Município e também visitar os museus que homenageiam duas das maiores atividades da região. O Museu do Queijo é uma viagem ao fabrico de um dos melhores queijos do mundo, o da Serra, e trata-se de um excelente programa para pais e filhos. O espaço é moderno, com salas temáticas, projeções 2D e 3D e jogos interativos. Tem ainda um jardim interior, uma loja e uma sala de degustação. Já no Museu dos Lanifícios ficamos a saber como se tingiam os tecidos ou se obtinham cores como o anil. Um dos aspetos mais impressionantes deste museu é a forma realista como, numa antiga fábrica de lãs cuidadosamente recuperada, estão reconstituídos os espaços e os antigos processos de produção.

Se chegar à Serra ainda com a luz do dia, pode fazer uma paragem mais curta na Covilhã, subir depois às Penhas da Saúde e passar a noite na Pousada Serra da Estrela, o antigo sanatório que Souto Moura transformou num hotel soberbo. Pode ainda ficar no Luna Hotel dos Carqueijais, pois também aqui irá sentir a atmosfera e o conforto especiais dos alojamentos de montanha. Para jantar ali ao lado experimente o Restaurante Medieval, onde o melhor prato é mesmo o ambiente peculiar que, tal como o nome indica, nos faz recuar uns séculos.

A grande vantagem de ficar hospedado nas Penhas da Saúde é que, ao acordar na manhã seguinte, estará a escassos minutos de distância do sítio onde todas as famílias querem ir, não exatamente por se tratar do sítio mais alto de Portugal Continental, mas sim por ser aquele que normalmente é sinónimo de uma experiência na neve – os olhos de uma criança quando vê neve pela primeira vez marcam uma imagem que os pais não esquecem. Por isso, quer durma na cidade ou no alto da montanha, é obrigatório ir à Torre e despender de umas boas horas por lá. A paisagem ao longo do caminho é magnífica e, à chegada, a paródia é garantida. Na Torre há neve quase todo o ano, nem que seja a suficiente para os miúdos atirarem bolas uns aos outros. Quem for experiente a esquiar, já sabe o que tem a fazer (ou não fazer); quem quiser aprender a modalidade, para depois aproveitar
as pistas, pode ter aulas logo pela manhã (mas só entre os meses de novembro e de abril).

A opção pelo trenó é bastante mais barata e, além do mais, uma vez que não requer grande técnica, o gozo é imediato. Basta pegar num dos trenós à venda no centro comercial da Torre e ensaiar umas descidas, por pequenas rampas, que começam logo uma avalanche de gargalhadas (é verdade: um simples saco de plástico também é uma hipótese de “veículo” a considerar). Enquanto uns deslizam em ziguezagues desordenados e rebolam com os despistes, os outros pode distrair-se a construir bonecos de neve. Além da roupa bem quente de que todos vão precisar, leve na bagagem os elementos da praxe para decorar o boneco: cachecol, gorro, avental, cenoura… O pai ou a mãe podem sempre emprestar os dois primeiros ao boneco durante a indispensável sessão fotográfica com toda a família a pousar ao lado da figura branca e volumosa. Já cenouras e aventais talvez não haja ali à mão de semear. Por isso, não se esqueça de os pôr na mala.

Concluídas as brincadeiras na neve, sabe bem voltar ao calor do carro para percorrer a estrada e apreciar as paisagens de uma das serras mais bonitas de Portugal, seja no inverno, seja, em boa verdade, em qualquer outra estação do ano. O destino é Seia.

Almoçar no restaurante do Museu do Pão é uma excelente forma de rematar a manhã passada na Torre. A comida regional serrana ajudará a recuperar as energias gastas na neve. Depois do almoço, visite então o museu, um dos mais interessantes e populares do país, onde é dado a conhecer o ciclo de produção do pão e o papel que este alimento fundamental tem desempenhado na nossa cultura ao longo dos tempos. As crianças terminam a visita com as mãos cheias de farinha, depois de fabricarem uma bolacha em massa de pão com o seu nome. E assim acaba o dia.

A Quinta do Crestelo é um ótimo alojamento para famílias em Seia. Trata-se de um aparthotel bastante confortável feito a partir de casas de granito e rodeado de espaços verdes onde podemos encontrar alguns animais domésticos, como cavalos, porcos, galinhas ou patos. A piscina interior é ideal para passar um final de dia frio. Ao serão, opte por um dos jogos de tabuleiro disponíveis no hotel para entreter – e embalar - toda a família antes de uma noite de descanso.

No domingo de manhã, perca-se no Museu do Brinquedo, outra das atrações de Seia, e aprecie esta coleção notável de milhares de peças, do passado e do presente,oriundas de várias partes de Portugal e do mundo. Siga então para Manteigas, percorrendo 30 quilómetros de belas paisagens serranas. Não perca uma visita ao Centro Interpretativo do Vale Glaciar do Zêzere, um lugar único na região, com um simulador que recria uma viagem de dirigível ao longo do Vale Glaciar. No fim da visita, mesmo em frente do Centro, leve os seus filhos aos criadores de cães de raça Serra da Estrela. Ver os cachorros será outros dos pontos altos da viagem para as crianças. Na zona de Manteigas, pode ainda visitar o Viveiro das Trutas e divertir-se no Skiparque. Para os iniciantes, ou para os mais pequenos, uma pista sintética facilita a aprendizagem do ski ou do snowboard, já que o atrito é maior e não se desliza tão depressa. O Poço do Inferno é outro ponto de paragem obrigatória, pelo enquadramento na beleza natural, pela possibilidade de fazer um passeio pedestre ou de bicicleta e de, para os mais resistentes ao frio, culminar com um piquenique em família.

O fim-de-semana não é eterno. Como quem corre por gosto não cansa, se conseguir experimentar tudo o que aqui propomos irá dar-se por contente. Mas o mais importante é que passeie e se divirta ao ritmo da sua família. Até porque a Serra da Estrela é bela e vasta. Nunca faltam motivos para lá regressar uma e outra vez.