NA TERRA DOS DINOSSAUROS

EO 2019 LourinhãPasseio
  • slider
  • slider

A Lourinhã, a uma hora de Lisboa, é o santuário dos dinossauros em Portugal. É lá que fica o Dino Parque, com réplicas à escala real de monstros pré-históricos que garantem momentos de grande excitação para toda a família.

A Lourinhã é a capital dos dinossauros em Portugal. Há mesmo espécies batizadas com o seu nome, como o Lourinhanosaurus Antunesi que está associado a um dos maiores ninhos de dinossauros da Europa, e que foi descoberto na região da Lourinhã. Era um dinossauro carnívoro do período Jurássico que poderia chegar a ter entre 7 a 8 metros de comprimento. Claro está, ele é um dos muitos dinossauros que esperam por nós no novíssimo parque que se situa a apenas 5 minutos do centro da Lourinhã. Fica escondido num lindíssimo pinhal e ainda estamos a estacionar o carro é já se ouvem os rugidos assustadores destes gigantes da pré-história.

O Dino Parque é uma verdadeira aula viva sobre a passagem dos dinossauros pela Terra. No Dino Parque, a componente lúdica está sempre de mãos dadas com a componente científica. Mesmo antes de nos aventurarmos pelos trilhos exteriores, ao encontro dos dinossauros, é fundamental conhecer o espaço museológico. Na antecâmara do Dino Parque há fósseis, ovos e esqueletos de dinossauros, um rico património paleontológico descoberto naquela região. Também é possível seguir por um vidro o trabalho de laboratório de preparação de um fóssil.

De mapa na mão, iniciamos a exploração dos trilhos do Dino Parque. Preparem-se para pelo menos duas horas de aventura e algum pó pelo caminho. Há 4 percursos distintos e que correspondem a algumas das mais importantes épocas da história da Terra: o fim do Paleozóico, o Triásico, o Jurássico e o Cretácico. Por estes trilhos vamos encontrando, ou sendo surpreendidos, pelos modelos de dinossauros, modelos de grande realismo. Alguns chegam mesmo a impressionar. Há de todos os tamanhos e feitios. O percurso pelo pinhal acaba por ser uma viagem extraordinária pelo mundo de há milhões de anos.

Em cada um dos 120 modelos há informação completa sobre o animal em causa, numa linguagem acessível e que nos identifica o tipo de dinossauro e os seus hábitos de vida. Há, também, excelentes perspetivas para tirar fotografias, ou selfies, junto aos animais. Esses pontos estão devidamente assinalados, o que é uma curiosidade.

Terminada a aventura pelos vários períodos da presença dos dinossauros na Terra, chegamos ao Pavilhão das Atividades, onde os visitantes poderão experimentar algumas atividades relacionadas com a paleontologia.

Assim, numa zona 1, há uma verdadeira caça ao tesouro, onde os miúdos vão proceder à pesquisa de pedras preciosas e fósseis de dente de tubarão, utilizando uma peneira.

Na Zona 2, constroem o seu dinossauro preferido, utilizando argila, com o aliciante de, no   final, poderem levar para casa o resultado do seu trabalho e criatividade.

A Zona 3 é uma “parede tátil”, onde as crianças podem tocar verdadeiros tesouros primitivos, podendo ser fósseis ou pegadas com milhões de anos.

Na Zona 4, os jovens paleontólogos podem fazer escavações de um esqueleto completo de dinossauro, em tamanho real, usando pequenas pás e vassouras.

Uma outra atividade muito interessante é aquela em que cada participante recebe uma rocha com aproximadamente 50 milhões de anos de idade e procede à sua preparação, sob orientação especializada de um elemento do Dino Parque. Tem a possibilidade de encontrar fósseis reais – de pequenos animais ou plantas.

Tal como acontece com os verdadeiros paleontólogos, vão preparar os fósseis de forma minuciosa, levando para casa um fóssil que foi trabalhado pelo próprio.