AS VISTAS DESLUMBRANTES DO CASTELO DE PALMELA

EO 2018 Região de LisboaPasseio
  • slider
  • slider
  • slider

Só a belíssima vista do castelo de Palmela justifica uma visita a esta fortificação medieval tão bem conservada. Um passeio a meia hora de Lisboa para toda a família.

Quem gosta de castelos não pode perder este. De fácil acesso, o Castelo de Palmela tem uma localização privilegiada. A vista abrange Palmela, Setúbal, Margem Sul e, com bom tempo, até o Cristo Rei e o Palácio de Sintra se conseguem ver no horizonte. É um dos poucos locais de onde se podem ver também os dois rios, o Tejo e o Sado. Como se não chegasse, ainda se pode ver a bonita península de Troia e o imenso e azul Oceano Atlântico.

Mas o Castelo de Palmela não é só vistas deslumbrantes: a sua história tem mais de 2.300 anos de história. Palmela foi habitada desde as épocas mais remotas, sendo os vestígios arqueológicos mais antigos, conhecidos na região, atribuídos ao período do Paleolítico Médio. Em 1147, com a expansão e subsequente ocupação territorial cristã, D. Afonso Henriques conquista Palmela aos Mouros. Em 1185, concede foral à povoação e doa o castelo de Palmela aos Cavaleiros de Santiago. Seguiram-se, depois, várias conquistas e reconquistas entre cristãos e muçulmanos, tendo Palmela sido definitivamente recuperada no reinado de D. Sancho I. Foi também aqui que D. Nuno Álvares Pereira avisou D. João I, através de sinais de fogo no castelo, que a Batalha dos Atoleiros estava ganha e brevemente o iriam socorrer. Aliás, no castelo há uma exposição que mostra a importância da fortificação nas transmissões militares, num pequeno museu sobre as transmissões.

Um outro aspeto curioso neste castelo é o facto de ser possível ver os efeitos do Terramoto de 1755, nomeadamente na zona da Igreja, e outros achados arqueológicos. Também no interior das muralhas, foi construída a Pousada do Castelo que se situa num antigo convento; a Igreja de Santiago, que é monumento nacional e as ruínas da Igreja de Sta. Maria. No Museu Municipal, encontram-se vários espaços de arqueologia e a reserva visitável de escultura de São Tiago.

A não perder, as visitas guiadas ao castelo. São mais ricas e, principalmente para as crianças, mais interessantes, porque os guias recriam os trajes e o espírito da época medieval.

Ainda no castelo, e se for hora de almoço ou de jantar, o “Bobo da Corte” é um lugar muito agradável para retemperar forças com um atendimento muito simpático e uma gastronomia à altura do local. Ou seja, tudo junto só pode significar mesmo um dia bem passado no castelo com a família. Divirtam-se!