A DESCOBERTA DO CAMINHO MARÍTIMO PARA… CACILHAS!

EO 2016 Região de LisboaPasseio e Museus
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider

Cacilhas está apenas a 10 minutos de Lisboa. Um passeio que começa da melhor forma, de barco, num cacilheiro pachorrento que vai ser a alegria de todos.

Nada mais motivador para um passeio em família do que uma viagem a bordo de um dos cacilheiros do Tejo. Uma vista da cidade de tirar a respiração, um barco que há décadas atravessa o rio e que faz parte do imaginário dos portugueses e uma viagem que é uma descoberta e uma aventura. Claro que todos vão querer ir à janela e, mesmo com salpicos, não perder a possibilidade de ver como é a vida de um rio cheio de vida e movimento e com muita história de Portugal nas suas águas.

Ao chegar à margem sul as várias setas deixam adivinhar o muito que há para ver. Fragata D. Fernando II e Glória, Submarino, Museu Naval, Igreja de Nª Senhora do Bom Sucesso, etc. A fragata dá logo nas vistas. A poucos metros do porto de embarque da Transtejo, o navio que foi estrela na Expo 98, tem as portas abertas para ser visitado. E que visita! É um passeio ao passado português das rotas marítimas dos Descobrimentos. Todos vão adorar ver o convés, os marinheiros a dormir nas camaratas e a luxuosa mesa com serviço Vista Alegre e talheres de prata na sala de jantar para os oficiais, isto para não falar dos aposentos do comandante ou dos inúmeros canhões de artilharia pesada que terão afugentado muitas embarcações de piratas.

Mesmo ao lado desta pérola da Marinha Portuguesa está outra, o submarino Barracuda. Por enquanto só dá para ver por fora mas em breve deverá estar visitável o seu interior. Então é que será mesmo uma aventura ir a Cacilhas e poder descer às entranhas de um submarino.

A Rua Cândido dos Reis, mesmo em frente, é a última coqueluche de Cacilhas. Uma via pedonal onde se pode fazer uma excelente refeição em família num dos muitos e bons restaurantes que modernizaram aquela via cheia de agradáveis esplanadas. Não deixem de ir ver a Conserveira de Cacilhas com inúmeras embalagens de conservas ou o Chá com Histórias onde encontramos uma antiga loja do início do século XX adaptada a um agradável café. Também a Casa da Avó Berta merece uma visita. Lá dentro estão produtos portugueses tradicionais e a história da própria casa, contada com muito orgulho pelos membros da família. o início da rua, a não perder, o interior da Igreja de Nossa Senhora do Bom Sucesso com os seus lindíssimos azulejos com a infância de Jesus.

Já com a barriguinha cheia, sem esquecer um ótimo  gelado no Amor Gelado, mesmo no início da rua, é altura de procurar o Museu Naval, situado na antiga fábrica da Indústria Naval, em Olho-de-boi, não muito longe do Cais do Ginjal. É um momento para conhecer o mundo da Indústria Naval e a sua arqueologia. Há peças que remontam ao neolítico e outras são dos últimos séculos. Muito interessante a construção naval em madeira, uma tradição do Tejo que o museu mostra a todos, especialmente aos mais jovens. Um passeio muito rico, este a Cacilhas, e muito variado nas opções. Só falta mesmo regressar a Lisboa no barco, quais marinheiros aventureiros do tempo das Descobertas.

No final, todos ficámos mais ricos. Bom passeio!