NO TEMPO DO PAPEL

EO 2017 Porto e NorteMuseuM/0
  • slider
  • slider

Conheça um museu raro, onde no seu interior vivem as memórias da história do Papel e de uma região papeleira com três séculos de atividade.

Ir até Paços de Brandão, que fica muito perto de Santa Maria da Feira, é a nossa proposta para um passeio que nos faz viajar no tempo, para conhecer o Museu do Papel que está instalado numa antiga unidade papeleira do Séc. XIX. É um museu raro, onde no seu interior vivem as memórias da história do papel e de uma região papeleira com três séculos de atividade. Na exposição permanente podem ver-se as duas fases mais marcantes do fabrico do papel em Portugal: a produção folha a folha e o fabrico industrial. Para a família, e para os mais novos em especial, a possibilidade de se envolverem e participarem nos processos de fabrico é um aliciante nesta visita.

Aconselhamos as visitas guiadas com possibilidade de participar na oficina da produção dos cartuchos de papel, que nos fazem recuar ao tempo "das mercearias", quando o papel ainda não tinha sido substituído pelos sacos de plástico. Desta forma fica-se a conhecer o processo de produção do papel e alguns utensílios como, por exemplo, a tesoura de cortar o trapo. O Moinho de Galgas, a Casa do Espande, destinada à secagem, e a Casa do Lixador, destinada à escolha e embalagem do papel, são pontos de interesse e assumem grande importância em todo o processo de reciclagem.

Fazem também parte do Museu do Papel as ruínas do Engenho Novo (1795-1958) que são, pela sua imponência e beleza circundante um cenário perfeito enquadrado no Parque Municipal com uma bonita mata e jardim para passar uma bela tarde de fim de semana.