À DESCOBERTA DAS AVES DO TEJO!

EO 2019 Vila Franca de XiraObservação de Aves3ª a Dom.: 10h-17h (nov. a Fev.), 9h-19h (mar. a Out)M/57€ / 12€
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider

O EVOA situa-se na Reserva Natural do Estuário do Tejo. Aqui o visitante pode apreciar mais de 100 espécies de aves no seu estado selvagem.

A experiência começa ao entrar na Lezíria Sul de Vila Franca de Xira: no contraste entre paisagens, na conjugação da tradição com a inovação e, é claro, na variedade de espécies que se alimentam ou refugiam nas valas, campos agrícolas, incluindo os arrozais, e pastagens da lezíria, dando as boas vindas a todos os que percorrem este espaço fascinante!

No EVOA estão integradas três zonas húmidas de água doce, num total de 70ha. Estas lagoas são muito importantes para as aves, sendo utilizadas como área de refúgio ou mesmo como local de nidificação. De modo a garantir a tranquilidade das aves e a maximizar a experiência e conforto na visitação, estão disponíveis três observatórios nas margens das lagoas, diversos pontos de observação camuflados e um Centro de Interpretação.

O Centro de Interpretação, para além de acolher os visitantes, convida-os a conhecerem a exposição permanente - EVOA, onde o mundo encontra o Tejo - e a participarem em diversas atividades complementares à observação de aves.

A equipa de guias, especializados em observação de aves e interpretação de natureza, garantem visitas-guiadas diárias que decorrem ao ritmo das marés, fornecendo equipamento adequado – binóculos, guias e telescópios - aos visitantes, à medida que percorrem os 4,5 Km de percursos.

Esta visita pode ser complementada com uma ida à charneca, onde entre sobreiros os visitantes podem observar as aves que vivem no montado, ou optar por fazer uma prova de vinhos, um passeio a cavalo ou por passar uma noite nos bungalows da Companhia das Lezírias.

Aves que se podem observar:

Outono/ inverno
- 120 000 aves podem utilizar o estuário em simultâneo
- 99% da população nacional de Ganso-bravo encontra-se nesta área da reserva
- 10 000 Marrequinhas foram contabilizadas nas lagoas
-  O alfaite, símbolo da reserva, também faz das lagoas o seu refúgio de maré
- Entre muitas outras aves aquáticas, como o milherango, maçarico-real, abibe e íbis-preto; e rapinas como Peneireiro-cinzento, Águia-pesqueira e Águia-sapeira, Coruja-das-torres;

Primavera/ verão
- A elegante garça-vermelha utiliza as lagoas em busca de peixes;
- Pernilongos, perdizes-do-mar, borrelhos-de-coleira-interrompida, chilretas, patos-de-bico-vermelho, entre outras espécies fazem os seus ninhos nas nossas ilhas;
- A águia-calçada e milhafre-preto disputam com a Águia-calçada o alimento;
- Algumas exóticas, como o bispo-de-cora-amarela, também aqui se encontram.

Como chegar:

Entrada (Portão do Cardal): 38º 57' 00,42'' N | 8º 58' 18,20''O
Centro de Interpretação: 38º 50' 59,00'' N | 8º 58' 27,00''O

Obs.: Existe bilhete família, 30€ (5 pessoas). Encerra em julho.