UM MUSEU AO LADO DA PRAIA

EO 2018 Vila Nova de GaiaExp. Permanente2ª a Dom.: 10h-13h, 14h-19hM/01,5€ / 4€
  • slider
  • slider

A Estação Litoral da Aguda (ELA) para visita ao pública tem duas zonas o Museu, na entrada, onde se encontram conchas, anzóis, miniaturas de barcos, artigos de pesca e muitas mais coisas. O Aquário é o outro local de visita, com 15 aquários.

A exposição do Museu das Pescas destaca os apetrechos e as artes tradicionais da pesca artesanal, usados ao longo do tempo e transmitidos de geração em geração. Ao longo da exposição pode também comparar as peças com equipamentos e utensílios de pesca artesanal de outros países e das várias épocas.

Em todo o mundo, mesmo nos locais mais remotos, a necessidade de obter alimento, conduziu o Homem a inventar e a construir aparelhos e artes de pesca semelhantes. Estas semelhanças estão visíveis nesta coleção, reunida em cinco continentes ao longo dos últimos 30 anos. Anzóis, amostras e iscos artificiais, de madeira, osso de animais terrestres, carapaça e osso de tartaruga, osso de baleia e até osso humano, madrepérola, chifre, marfim, ferro, aço, cobre, bronze, latão, prata e ouro fazem parte da coleção. Também as fisgas, flechas e arpões destinados à captura do polvo, da enguia, da lampreia, do tubarão, da baleia e da foca podem ser observados.

Os visitantes ficarão ainda surpreendidos com as armadilhas e redes destinadas à captura de crustáceos, moluscos e todo o género de peixes, mas também com as canas e outros equipamentos antigos da pesca desportiva, maquetas de barcos de pesca, figuras a pescar, conchas, corais e algumas curiosidades marítimas.

O Aquário da ELA é dedicado à fauna e à flora aquáticas locais, mostrando sobretudo os peixes e invertebrados marinhos mais importantes para a pesca artesanal. Os 15 aquários, com capacidade entre 1200 até 6700 litros, são habitados por mais de mil indivíduos de cerca de 60 espécies que representam a vida aquática dos biótopos característicos da praia da Aguda. Existem 11 aquários de água salgada e quatro de água doce, onde se representam a fauna e flora do Mar da Aguda. No primeiro piso encontra-se uma exposição de esculturas em barro.

A exposição começa pelas poças de maré da zona intertidal e entra depois na zona sempre submersa do sublitoral, descendo aos três metros de profundidade para o habitat típico das laminárias. Com a profundidade a aumentar, de cinco em cinco metros, e ao passar a zona rochosa característica do mar da Aguda, encontram-se as fanecas, as douradas, o congro e as moreias.

Chega à profundidade máxima de 25 metros, onde começam os bancos de areia e onde foi montado um pequeno recife artificial que é frequentado por espécies de grande porte como o peixe-porco, a raia ou o pregado.