OS TRAJES DE ANTIGAMENTE

EO 2017 LisboaVisita3ª: 14h-18h; 4ª a Dom.: 10h-18hM/03€ a 6€
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider
  • slider

No Museu do Traje, os visitantes podem descobrir uma coleção de indumentária histórica e acessórios de traje, desde o séc. XVIII até à atualidade. Será que as crianças conhecem as roupas de antigamente?

Constituído com doações de particulares, o Museu contou também com a incorporação das peças de traje e acessórios existentes noutros museus nacionais. Nos anos que se seguiram e até à atualidade, as doações de particulares constituíram-se como a grande fonte de enriquecimento desta coleção que conta com cerca de 38 000 peças.

As variadas coleções em que se organiza o vasto acervo do Museu Nacional do Traje representam essencialmente o traje civil e respetivos acessórios, do século XVIII à atualidade, documentando a evolução das formas de vestir neste período de tempo e os processos de reprodução do têxtil. Estas coleções representam, sobretudo, o modo de vestir da aristocracia e da alta ou média burguesia. As meninas vão gostar de descobrir ainda as coleções de bonecas e os respetivos trajes.

Quanto ao traje popular pode ficar a saber que não sofreu grandes variações de moda e foi sempre transformado, adaptado e usado até ao fio, não se conhecendo exemplares de épocas muito recuadas.

O traje feminino representa o maior núcleo da coleção, associado a todo o tipo de acessórios. Completa-se com a coleção de traje interior, abundante e representativa dos séculos XIX e XX. O traje masculino está também presente, com predominância para as épocas em que a seda e o linho tinham primazia. Uma interessante coleção de traje de criança completa o núcleo do traje civil.

Depois de uma visita ao museu, conheça ainda o parque botânico envolvente, Parque Botânico do Monteiro-Mor, que tem cerca de 11 hectares. O jardim é atravessado por uma ribeira que, à entrada, corre a céu aberto e segue depois num troço encanado, datado do séc. XVIII. Esta solução permitiu a construção dos grandes socalcos que sustentam a plataforma onde se encontra o palácio.

Após a aquisição pelo Estado, em 1975, procedeu-se à recuperação e adaptação da propriedade a parque botânico, mantendo as suas áreas caraterísticas - jardim, roseiral, pomar, prados, pinhal e horta - e implementando o aumento da diversidade botânica.

Preços:
3€ (parque) | 4€ (museu) | 6€ (museu + parque)

Obs.: Gratuito até aos 12 anos e aos domingos e feriados até às 14h. Também para escolas.